PORTAL NIPPOBRASIL OnLine - 13 ANOS
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
    Horário de Brasília: Quarta-feira, 20 de setembro de 2017 - 11h35
Destaques: Curso de JaponêsCulináriaHoróscopoAgendaInício    
História e Mestres
Pétalas ao vento
Haicai dos leitores

Resultados e premiações dos Concursos

Nos bastidores do Haicai Brasileiro
História do Haicai
Nozawa Bonchô (? – 1714)
akuoke no
shizuku yami keri
kirigirisu

Tradução:

Até o barreleiro
Já parou de gotejar –
O canto do grilo.


Todas as civilizações conheceram o poder de limpeza das cinzas vegetais. Ricas em carbonatos, ajudavam a dissolver nódoas e a branquear roupas. Posteriormente, entraram na composição dos primeiros sabões.

No Japão da era Edo, as cinzas eram misturadas com água e deixadas coando numa bacia com um pequeno furo no fundo. A calda resultante (aku), altamente alcalina, era usada na lavagem de roupas. Em português, o nome dessa calda é barrela, e a bacia em que é coada (akuoke) chama-se barreleiro, situada normalmente do lado de fora da cozinha.

A barrela é deixada gotejar noite adentro pela dona de casa, para ser usada no dia seguinte. A altas horas, quando até mesmo o ruído dessas gotas já cessou, um grilo inicia seu canto monótono. Dessa forma, retrata-se a quietude noturna de um típico ambiente doméstico durante o outono. O kigo (termo de estação) é kirigirisu (grilo).

História do Haicai
Nozawa Bonchô (? – 1714)
zendera no
matsu no ochiba ya
kaminazuki

Tradução:

Agulhas de pinheiro
Pelo chão do templo zen
No mês sem deuses.


Nos domínios do templo que a vassoura acabou de varrer, não param de cair agulhas dos pinheiros ao redor. É o sinal de que o inverno está chegando. Um templo zen-budista está sempre impecavelmente limpo. Na verdade, a faxina trata-se de um dos exercícios diários da prática religiosa. Além disso, o ambiente é sempre de silêncio.

O décimo mês do calendário lunar, aproximadamente equivalente a novembro, marca o início do inverno. Também, segundo a tradição, representa o tempo em que todos os deuses do panteão xintoísta reúnem-se em Izumo, abandonando seus postos e caracterizando, assim, o “mês sem deuses” (kami nashi tsuki, ou, abreviadamente, kaminazuki). Assim, em tudo a impressão transmitida pelo haicai é de quietude.

Os kigo (termos de estação) são dois: ochiba (folhas caídas, que não traduzimos) e kaminazuki (mês sem deuses), ambos representando o inverno.

História do Haicai
Nozawa Bonchô (? – 1714)
ichinaka wa
mono no nioi ya
natsu no tsuki

Tradução:

Das ruas e casas
Vêm os cheiros das coisas –
Lua de verão


Trata-se do hokku (estrofe inicial) de uma seqüência de versos encadeados (haikai renga ou kasen) composta em Quioto, no ano de 1690, por Bashô, Bonchô e Kyorai.

É noite de verão e a lua no céu sugere uma idéia de frescor após um dia quente. Entretanto, em meio às ruas apertadas da cidade, o calor demora a ceder. Do lado de fora das casas, homens saem de leque na mão, reclamando e buscando alívio para o clima abafado. Do lado de dentro, as mulheres estão ocupadas preparando o jantar. Suas cozinhas exalam os mais variados aromas, que se somam aos outros odores da rua, uns agradáveis e outros não.

Esse haicai retrata, de maneira viva, o cotidiano da população, resumindo as diversas impressões da cidade por meio de sensações olfativas. O kigo (termo de estação) é natsu no tsuki (lua de verão).


História do Haicai
Arakida Moritake (1473–1549)
Hattori Ransetsu (1654–1707)
Hattori Tohô (1657–1730)
Hirose Izen (?-1711)
Hori Bakusui (1718–1783)
Ihara Saikaku (1642-1693)
Ikenishi Gonsui (1650–1722)
Imbe Rotsû (1649–1738)
Inoue Shirô (1742-1812)
Kaga no Chiyoni (1703–1775)
Kagami Shikô (1665–1731)
Katô Kyôtai (1732–1792)
Kawai Chigetsu (? – 1708)
Kawai Sora (1649–1710)
Kaya Shirao (1738-1791)
Kitamura Kigin (1624-1705)
Kobayashi Issa 1 (1763-1827)
Kobayashi Issa 2 (1763-1827)
Konishi Raizan (1654-1716)
Kuroyanagi Shôha (1727-1771)
Matsue Shigeyori (1602–1680)
Matsunaga Teitoku (1571–1653)
Matsuo Bashô 1 (1644-1694)
Matsuo Bashô 2 (1644-1694)
Miura Chora (1729-1780)
Morikawa Kyoriku (1656-1715)
Mukai Kyorai (1651–1704)
Naitô Jôsô (1662–1704)
Natsume Seibi (1749-1816)
Nishiyama Sôin (1605-1682)
Nonoguchi Ryûho (1595–1669)
Nozawa Bonchô (?–1714)
Ochi Etsujin (1656-?)
Ôshima Ryôta (1716–1787)
Shiba Sonome (1664-1726)
Shida Yaba (1663-1740)
Sugiyama Sampû (1647-1732)
Suzuki Michihiko (1757-1819)
Tachibana Hokushi (?-1718)
Takai Kitô (1741-1789)
Takakuwa Rankô (1726-1798)
Takarai Kikaku (1661–1707)
Takebe Sôchô (1761-1814)
Tan Taigi (1709–1771)
Uejima Onitsura (1661–1738)
Yasuhara Teishitsu (1610-1673)
Yamazaki Sôkan (? - 1539)
Yosa Buson 1 (1716–1783)
Yosa Buson 2 (1716–1783)
Yosa Buson 3 (1716–1783)
  © Copyright 1992-2010 - Jornal Nippo-Brasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br