PORTAL NIPPOBRASIL OnLine - 13 ANOS
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
    Horário de Brasília: Quinta-feira, 23 de março de 2017 - 9h16
Destaques: Curso de JaponêsCulináriaHoróscopoAgendaInício    
História e Mestres
Pétalas ao vento
Haicai dos leitores

Resultados e premiações dos Concursos

Nos bastidores do Haicai Brasileiro
História do Haicai
Yasuhara Teishitsu (1610-1673)
korewa korewa
to bakari hana no
yoshino yama

Tradução:

Ah! Oh! É tudo
O que se pode dizer —
Monte Yoshino em flor.


Durante muitos séculos, o Monte Yoshino, na província de Nara, tem sido um dos locais mais famosos para apreciação das cerejeiras em flor (hanami). As primeiras mudas teriam sido plantadas há mais de 13 séculos. Na atualidade, cerca de 30 mil árvores cobrem as encostas da montanha, florescendo durante o mês de abril. A paisagem do Monte Yoshino foi cantada de todas as formas pelos poetas do passado, mas, quando chega a vez de Teishitsu, somem-lhe as palavras, engolidas pela beleza fulgurante das flores. Admiravelmente, aqui não há jogos de palavras ou outros artifícios lingüísticos, tão comuns na escola Teimon. O que se ressalta é apenas a expressão de emoção transbordante, que acabou por tornar este haicai muito famoso. Na época, a interjeição korewa korewa era muito usada em peças de bunraku (teatro de marionetes) para expressar admiração. Com o tempo, incorporou-se à linguagem do dia-a-dia. Como já sabemos, o uso de expressões cotidianas é uma das marcas distintivas do haicai em relação às formas clássicas da poesia japonesa. A estação deste poema é primavera e o kigo é flor (a flor não nomeada sempre se refere à cerejeira).

História do Haicai
Arakida Moritake (1473–1549)
Hattori Ransetsu (1654–1707)
Hattori Tohô (1657–1730)
Hirose Izen (?-1711)
Hori Bakusui (1718–1783)
Ihara Saikaku (1642-1693)
Ikenishi Gonsui (1650–1722)
Imbe Rotsû (1649–1738)
Inoue Shirô (1742-1812)
Kaga no Chiyoni (1703–1775)
Kagami Shikô (1665–1731)
Katô Kyôtai (1732–1792)
Kawai Chigetsu (? – 1708)
Kawai Sora (1649–1710)
Kaya Shirao (1738-1791)
Kitamura Kigin (1624-1705)
Kobayashi Issa 1 (1763-1827)
Kobayashi Issa 2 (1763-1827)
Konishi Raizan (1654-1716)
Kuroyanagi Shôha (1727-1771)
Matsue Shigeyori (1602–1680)
Matsunaga Teitoku (1571–1653)
Matsuo Bashô 1 (1644-1694)
Matsuo Bashô 2 (1644-1694)
Miura Chora (1729-1780)
Morikawa Kyoriku (1656-1715)
Mukai Kyorai (1651–1704)
Naitô Jôsô (1662–1704)
Natsume Seibi (1749-1816)
Nishiyama Sôin (1605-1682)
Nonoguchi Ryûho (1595–1669)
Nozawa Bonchô (?–1714)
Ochi Etsujin (1656-?)
Ôshima Ryôta (1716–1787)
Shiba Sonome (1664-1726)
Shida Yaba (1663-1740)
Sugiyama Sampû (1647-1732)
Suzuki Michihiko (1757-1819)
Tachibana Hokushi (?-1718)
Takai Kitô (1741-1789)
Takakuwa Rankô (1726-1798)
Takarai Kikaku (1661–1707)
Takebe Sôchô (1761-1814)
Tan Taigi (1709–1771)
Uejima Onitsura (1661–1738)
Yasuhara Teishitsu (1610-1673)
Yamazaki Sôkan (? - 1539)
Yosa Buson 1 (1716–1783)
Yosa Buson 2 (1716–1783)
Yosa Buson 3 (1716–1783)
  © Copyright 1992-2010 - Jornal Nippo-Brasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br