PORTAL NIPPOBRASIL OnLine - 13 ANOS
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
    Horário de Brasília: Quarta-feira, 28 de junho de 2017 - 16h20
Destaques: Curso de JaponêsCulináriaHoróscopoAgendaInício    
História e Mestres
Pétalas ao vento
Haicai dos leitores

Resultados e premiações dos Concursos

Nos bastidores do Haicai Brasileiro
História do Haicai
Naitô Jôsô (1662–1704)
uzukumaru
yakan no moto no
samusa kana

Tradução:

Enquanto agachado
Ao lado da chaleira
Como faz frio!


No inverno de 1694, Bashô, moribundo e desenganado, permanecia acamado em Osaka, onde era assistido dia e noite por amigos e discípulos vindos de todas as partes. Jôsô estava entre eles, e o haicai é o resultado dessa vigília.

Podemos visualizar o autor preparando a infusão de ervas que servirá de remédio para aliviar a dor dos últimos momentos de seu mestre. Ao lado do cômodo de Bashô, uma chaleira é pendurada sobre o fogo, mas este é suficiente apenas para ferver a água. Jôsô agacha-se ao lado da chaleira enquanto espera. Mas a chama débil não é suficiente para aquecê-lo e gradualmente o frio começa a dominar seu corpo. Os calafrios que sente lembram-no a todo instante que a sombra da morte ronda a casa.

Bashô morreu poucos dias após a composição deste haicai. O kigo (termo de estação) é samusa, frio.

História do Haicai
Naitô Jôsô (1662–1704)
ikutari ka
shigure kakenuku
seta no hashi

Tradução:

Quantas pessoas
Correm da chuva de inverno –
Ponte sobre o Seta.


Originando-se na porção sul do Lago Biwa, o Rio Seta flui em direção a Osaka. Estendendo-se sobre ele, uma ponte de mais de 300 metros liga as cidades de Otsu e Quioto, constituindo-se em movimentada passagem de viajantes.

A chuva mais característica do inverno (shigure) é uma chuva fria e repentina, embora passageira. O autor retrata o instante de tumulto em que ela começa a cair sobre as pessoas. Elas disparam a correr com direção incerta, já que não há abrigo possível em toda a extensão da ponte. Entretanto, a chuva é breve e todos por fim voltarão ao passo normal.

A ponte sobre o Seta é uma das paisagens agrupadas sob o título “Oito vistas de Ômi” (arredores do Lago Biwa), retratadas em gravuras ukiyo-e por Hiroshige. O haicai de Jôsô retrata uma cena do cotidiano como se fosse uma dessas gravuras. O kigo é shigure (chuva de inverno).

História do Haicai
Naitô Jôsô (1662–1704)
hototogisu
naku ya kosui no
sasa nigori

Tradução:

O cuco a cantar –
As águas do grande lago
Levemente turvas.


Jôsô morava em Quioto, às margens do famoso Lago Biwa. Ex-samurai, tornou-se discípulo de Bashô aos 29 anos.

Por causa das chuvas do início do verão, que carregam terra e outros detritos das margens, as águas do Lago Biwa ficam turvas. O silêncio da paisagem matutina é brevemente quebrado pelo canto do cuco, que voa rente à superfície da água. O cuco japonês é um pássaro emblemático, que a tradição literária associa ao verão.

Por outro lado, o autor percebe as sutis mudanças trazidas pelas estações. No início do verão, as montanhas que circundam o lago adquirem tons cada vez mais verdes, enquanto a própria água muda de cor. O haicai captura com habilidade a passagem das estações ao combinar um símbolo clássico do verão com a observação da paisagem ao vivo. O termo de estação (kigo) é hototogisu (cuco japonês).


História do Haicai
Arakida Moritake (1473–1549)
Hattori Ransetsu (1654–1707)
Hattori Tohô (1657–1730)
Hirose Izen (?-1711)
Hori Bakusui (1718–1783)
Ihara Saikaku (1642-1693)
Ikenishi Gonsui (1650–1722)
Imbe Rotsû (1649–1738)
Inoue Shirô (1742-1812)
Kaga no Chiyoni (1703–1775)
Kagami Shikô (1665–1731)
Katô Kyôtai (1732–1792)
Kawai Chigetsu (? – 1708)
Kawai Sora (1649–1710)
Kaya Shirao (1738-1791)
Kitamura Kigin (1624-1705)
Kobayashi Issa 1 (1763-1827)
Kobayashi Issa 2 (1763-1827)
Konishi Raizan (1654-1716)
Kuroyanagi Shôha (1727-1771)
Matsue Shigeyori (1602–1680)
Matsunaga Teitoku (1571–1653)
Matsuo Bashô 1 (1644-1694)
Matsuo Bashô 2 (1644-1694)
Miura Chora (1729-1780)
Morikawa Kyoriku (1656-1715)
Mukai Kyorai (1651–1704)
Naitô Jôsô (1662–1704)
Natsume Seibi (1749-1816)
Nishiyama Sôin (1605-1682)
Nonoguchi Ryûho (1595–1669)
Nozawa Bonchô (?–1714)
Ochi Etsujin (1656-?)
Ôshima Ryôta (1716–1787)
Shiba Sonome (1664-1726)
Shida Yaba (1663-1740)
Sugiyama Sampû (1647-1732)
Suzuki Michihiko (1757-1819)
Tachibana Hokushi (?-1718)
Takai Kitô (1741-1789)
Takakuwa Rankô (1726-1798)
Takarai Kikaku (1661–1707)
Takebe Sôchô (1761-1814)
Tan Taigi (1709–1771)
Uejima Onitsura (1661–1738)
Yasuhara Teishitsu (1610-1673)
Yamazaki Sôkan (? - 1539)
Yosa Buson 1 (1716–1783)
Yosa Buson 2 (1716–1783)
Yosa Buson 3 (1716–1783)
  © Copyright 1992-2010 - Jornal Nippo-Brasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br