PORTAL NIPPOBRASIL OnLine - 13 ANOS
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
    Horário de Brasília: Quarta-feira, 20 de setembro de 2017 - 11h35
Destaques: Curso de JaponêsCulináriaHoróscopoAgendaInício    
História e Mestres
Pétalas ao vento
Haicai dos leitores

Resultados e premiações dos Concursos

Nos bastidores do Haicai Brasileiro
História do Haicai
Matsue Shigeyori (1602–1680)


aki ya kesa
hitoashi ni shiru
nogoien

Tradução:
Pelo pé se sabe –
Primeira manhã de outono
Na varanda limpa.


O dia mal amanhece e alguém se levanta, caminhando pelo chão forrado de tatames do interior da casa. Quando chega a vez de seus pés descalços tocarem a madeira fria da varanda, ocorre a percepção de que algo está diferente. Pelas solas de seus pés, o poeta subitamente se dá conta de que o outono chegou, sensação intensificada pelo piso limpo e lustroso. A expressão nogoien refere-se à varanda (engawa) esfregada (nugui) com pano. Embora exista um trocadilho (tão característico da escola Teimon) no uso da expressão hitoashi, que se refere tanto ao pé real (“pelo pé se sabe”) quanto ao caráter instantâneo da percepção (“de repente, se sabe”), não é daí que vem o valor do poema. Na verdade, o vigor dos versos vem da ênfase dada à captura de uma sensação efêmera, aproximando Shigeyori dos autores mais modernos. O kigo é kesa no aki, traduzido como “primeira manhã de outono”, e refere-se não ao equinócio de outono, mas ao dia entre o solstício de verão e o equinócio de outono, que, segundo o calendário chinês, marca a chegada da estação. Para o calendário ocidental, esse dia seria aproximadamente 8 de agosto (no hemisfério norte).


yaa shibaraku
hana ni tai shite
kane tsuku koto

Tradução:
Espere um pouquinho
Em respeito às flores
Antes de tocar o sino.


Neste haicai, ocorre o aproveitamento de dois momentos da literatura clássica: um é a peça Nô Encontro no templo Miidera, de onde se aproveita a fala: “Espera um momento. Por que tocas este sino como louca?”. O outro é um tanka de autoria de Nôin, presente na antologia imperial Shin-kokinshû (1205): “Na primavera,/ ao entardecer,/ numa aldeia entre as montanhas,/ as flores vêm ao chão/ ao sino do pôr-do-sol”. Com bom humor, o haicai pede que se suspenda o toque do sino enquanto dura a florada tão delicada das cerejeiras, cujas flores poderiam desabar com as vibrações. O extremo coloquialismo do primeiro verso é uma característica que vai encontrar eco na futura escola Danrin, de Sôin, de quem Shigeyori foi amigo e professor. Shigeyori formou, junto com Ryûho, Teishitsu, Kigin e outros o grupo dos sete discípulos mais proeminentes de Teitoku e da escola Teimon. Entretanto, por seu caráter independente e obstinado, acabou por distanciar-se do mestre. Sua relação com Sôin, fundador da escola Danrin, estende uma ponte entre as duas principais escolas pré-Bashô. O kigo é flor (primavera).

História do Haicai
Arakida Moritake (1473–1549)
Hattori Ransetsu (1654–1707)
Hattori Tohô (1657–1730)
Hirose Izen (?-1711)
Hori Bakusui (1718–1783)
Ihara Saikaku (1642-1693)
Ikenishi Gonsui (1650–1722)
Imbe Rotsû (1649–1738)
Inoue Shirô (1742-1812)
Kaga no Chiyoni (1703–1775)
Kagami Shikô (1665–1731)
Katô Kyôtai (1732–1792)
Kawai Chigetsu (? – 1708)
Kawai Sora (1649–1710)
Kaya Shirao (1738-1791)
Kitamura Kigin (1624-1705)
Kobayashi Issa 1 (1763-1827)
Kobayashi Issa 2 (1763-1827)
Konishi Raizan (1654-1716)
Kuroyanagi Shôha (1727-1771)
Matsue Shigeyori (1602–1680)
Matsunaga Teitoku (1571–1653)
Matsuo Bashô 1 (1644-1694)
Matsuo Bashô 2 (1644-1694)
Miura Chora (1729-1780)
Morikawa Kyoriku (1656-1715)
Mukai Kyorai (1651–1704)
Naitô Jôsô (1662–1704)
Natsume Seibi (1749-1816)
Nishiyama Sôin (1605-1682)
Nonoguchi Ryûho (1595–1669)
Nozawa Bonchô (?–1714)
Ochi Etsujin (1656-?)
Ôshima Ryôta (1716–1787)
Shiba Sonome (1664-1726)
Shida Yaba (1663-1740)
Sugiyama Sampû (1647-1732)
Suzuki Michihiko (1757-1819)
Tachibana Hokushi (?-1718)
Takai Kitô (1741-1789)
Takakuwa Rankô (1726-1798)
Takarai Kikaku (1661–1707)
Takebe Sôchô (1761-1814)
Tan Taigi (1709–1771)
Uejima Onitsura (1661–1738)
Yasuhara Teishitsu (1610-1673)
Yamazaki Sôkan (? - 1539)
Yosa Buson 1 (1716–1783)
Yosa Buson 2 (1716–1783)
Yosa Buson 3 (1716–1783)
  © Copyright 1992-2010 - Jornal Nippo-Brasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br