Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Sábado, 25 de março de 2017 - 18h40
Arquivo Edição 302 - 30 de março a 5 de abril de 2005 - Especial - Portal NippoBrasil
 

Hanami, uma bela tradição japonesa

Nesta época do ano, eventos são realizados
em parques, beiras de rios e até mesmo nas ruas


TRADIÇÃO - Japoneses contemplam as cerejeiras, porque
elas refletem ideais de pureza e simplicidade das pessoas

(Texto: Silvia Kikuchi/IPCJAPAN | Fotos: Divulgação)

O Japão é um país privilegiado. Sua posição geográfica faz com que as estações do ano sejam bem definidas. Primavera, verão, outono e inverno têm, cada uma, características próprias. Os japoneses sabem valorizar isso como ninguém. Sensíveis por natureza, muitos dos costumes e tradições demonstram o respeito que têm pela natureza. Isso fica evidente em muitos aspectos, desde a culinária, o estilo religioso à filosofia zen.

Apreciar as flores – ou hanami, como se diz em japonês – é uma dessas tradições conservadas até hoje. Isso não significa que outros países não promovam eventos semelhantes, mas nenhum povo o faz como os japoneses. Existe todo um esquema envolvendo o hanami, que inclui desde piqueniques a atrações diversas, sob as cerejeiras em flor.

Os eventos são realizados em parques, templos, beiras de rios e até mesmo nas ruas. Em locais concorridos, é comum as pessoas guardarem lugares sob as árvores desde a manhã para amigos, familiares ou colegas da empresa.

O costume do hanami vem de muito tempo. Durante a Era Heian (794~1185), a festividade era reservada à aristocracia, que se reunia para escrever poemas e cantar sob as cerejeiras. Elas foram e ainda são tema de canções e danças japonesas.

A popularização aconteceu somente durante a Era Edo (1688~1704) e, desde então, tornou-se uma tradição para a maioria dos japoneses. Nessa época, as pessoas reuniam-se sob as cerejeiras para comer, beber e dançar.

Os japoneses gostam muito das flores de cerejeira, porque sua forma e cor refletem as noções ideais de pureza e simplicidade das pessoas. Outro aspecto da flor da cerejeira é a fragilidade. As flores têm vida curta. Desabrocham em um dia e pouco tempo depois se dispersam ao vento.

A existência da flor do sakura (cerejeira) foi comparada com o Bushido – o Caminho do Samurai, segundo cita em seu livro, o escritor Inazo Nitobe, em referência ao período das guerras, quando a morte poderia ocorrer a qualquer momento. A vida do samurai era tão efêmera como a flor da cerejeira.

 
 
 
Algumas variedades famosas de sakura


SOMEIYOSHINO

••• Nome científico: Cerasusxyedoensis Matsumura.cv.Yedoensis

••• Número de pétalas: 5

••• Características: As primeiras mudas começaram a ser vendidas na Era Edo. É fruto do cruzamento das espécies Edohiganzakura e Ooshimazakura. É a planta símbolo do Japão.



GYOIKOO

••• Nome científico: Cerasuslannesiana Wils.cv.Gioiko

••• Número de pétalas: 10 a 20

••• Características: As flores dessa cerejeira têm coloração verde nas pontas, mas, em plena florescência, o centro da pétala pode tanto colorir-se em tons avermelhados como apresentar faixas rosadas.



SHIDAREZAKURA

••• Nome científico: Cerasuspendula Maxim.cv.Pendula

••• Número de pétalas: 5

••• Características: É uma variação da espécie Edohiganzakura, mas com galhos caídos em forma de cascata. As árvores têm vida mais longa, em comparação a outras espécies.



JUUGATSUZAKURA

••• Nome científico: Cerasusxsubhirtella Mig.cv.Autumnalis Makino

••• Número de pétalas: 10 a 20

••• Características: Essa espécie floresce duas vezes por ano, no outono e na primavera. As flores da primavera, no entanto, são maiores. Essa espécie é conhecida como bokezakura.



UKON

••• Nome científico: Cerasuslannesiana Wils.cv.Grandifora

••• Número de pétalas: 10 a 20

••• Características: Assim como muitas espécies, era cultivada próximo ao Rio Arakawa, em Tóquio. As flores, em tons amarelados, são exóticas e bastante procuradas também no Ocidente.



KANZAN

••• Nome científico: Cerasuslannesiana Wils.cv.Sekiyama

••• Número de pétalas: 25 a 50

••• Características: Originária do Rio Arakawa, em Tóquio, começou a se adaptar por todo o país desde a Era Meiji (1868~1912). Por ser resistente e de rápido crescimento, é a preferida para arborizar avenidas e parques.



SHINAMIZAKURA

••• Nome científico: Cerasuspseudo-erasus Lindley

••• Número de pétalas: 5

••• Características: Originária da China, foi levada ao Japão na Era Edo. Produz frutos para consumo ou fabricação de bebidas. Seus galhos, folhas e flores são utilizados na fabricação de remédios.

 Busca
 Especial
Especial - Nippo-Brasil
• Festa de celebração do Ano do galo 2017 em São Paulo e previsões
Especial - Nippo-Brasil
• + 10 Provérbios Japoneses
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 311
• Gairaigo: as palavras estrangeiras na língua japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 304
• Provérbios do Japão:
sabedoria através dos tempos
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 302
• Hanami, uma bela tradição japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 301
• Simbologia japonesa: os animais
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 300
• Simbologia japonesa:
as flores e as árvores
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 281
• Você sabe o que significa seu sobrenome?
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 279
• Oriente-se para fazer ginástica!
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 271
• Bonsai, a natureza em miniatura
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 253
• Desvendando os
seres da mitologia japonesa
Especial - Nippo-Brasil
• Kaburimono (literalmente, aquilo que se põe na cabeça)
Especial - Nippo-Brasil
• Conheça alguns amuletos e preces orientais
Especial - Nippo-Brasil
• Shichifukujin, as sete divindades
Especial - Nippo-Brasil
• Daruma: sinônimo de sucesso
Especial - Nippo-Brasil
• A história da Hello Kitty
Especial - Nippo-Brasil
• A história e a tradição do Maneki Nekô no Japão
Especial - Nippo-Brasil
• Escrevendo seu nome brasileiro em caracteres japoneses
Especial - Nippo-Brasil
• 10 Provérbios Japoneses
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 27
• Crueldade marca início
do bairro da Liberdade
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 26
• Liberdade: um pedacinho
do Japão em São Paulo
• Nomes japoneses mais populares de 2013
• Aprender chinês não é tão difícil assim
• Homens donos de casa
• Executivos japoneses no Brasil convivem com diferenças culturais no País
• Japão ainda dificulta a carreira de mulheres
• Japão estimula funcionários a tirarem licença-paternidade
• Ano-Novo no Japão só
termina em meados de janeiro
• Marcos da imigração no Vale do Ribeira viram patrimônios históricos
• Natal à japonesa: sem feriado, ceia, missa e nem panetone
• Mulheres aderem à moda do plastimodelismo
• Editoras japonesas buscam formas de atrair mais leitores
• Ensino de japonês abre horizonte para estudantes da rede pública
• A nova imigração japonesa no Brasil
• Escolas em São Paulo ajudam a preservar cultura japonesa no País
• Mulheres casadas preferem ficar em casa do que trabalhar fora
• Japão oferece facilidades aos portadores de necessidades especiais
• Suicídios afetam 35 mil trens por ano
• Divórcios no Japão e Brasil:
Quando o amor acaba
• Maternidade torna-se problema social no Japão
• Helper: Os cuidadores de idosos
• Taikô à brasileira
• Como escolher o nome em Japonês
• As noivas que atravessaram o Atlântico
• Yosakoi Soran: Uma dança, muitas culturas
• Pontos comerciais guardam a história do bairro da Liberdade

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

110 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases