Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Sábado, 25 de março de 2017 - 18h39
Arquivo - 15 a 21 de fevereiro de 2001 - Especial - Portal NippoBrasil
 
Shichifukujin, as sete divindades

Tradicionalmente, acredita-se que o Shichifukujin traga sorte e felicidade às pessoas. São eles: Ebisu, Daikokuten, Bishomonten, Benzaiten, Fukurokuju, Jurojin e Hotei. No grupo, encontram-se divindades budistas, taoístas, xintoístas e outras que simbolizam as sete virtudes essenciais do homem: longevidade, oportunidade, popularidade, franqueza, magnanimidade, dignidade e bondade.

Esses sete são retratados em pinturas, esculturas, músicas e danças e começaram a ser adorados como um grupo há muitos séculos. A prática de fazer um meguri, ou romaria aos santuários e templos de todos os Shichifukujin durante o Ano Novo tornou-se popular durante a Era Edo (1603-1868). Shichifukujin meguri ainda é popular em todos os lugares do Japão, incluindo os distritos de Fukagawa e Kameido, em Tóquio Koto-ku.

Por quê sete?
Dizem que o sete é um número sagrado. Deus criou o mundo em sete dias, portanto, é conhecido como o número da perfeição. Números não divisíveis por dois eram um mistério para os nossos antepassados, pois eram difíceis de serem “manipulados”.

Muitos santuários e templos ligados ao Shichifukujin são dedicados somente a um dos deuses, então os sete templos e santuários na redondeza formam o grupo. Contudo, em alguns casos, dois deuses são adorados em um lugar ou, às vezes, todos os sete. Acredita-se que exista mais de cem grupos de templos e santuários assim no Japão.


As sete divindades

Ebisu é o deus da prosperidade do trabalho do homem. Em cidades agrícolas, ele é considerado o deus do campo de arroz, e em áreas pesqueiras, acredita-se que ele promova uma boa pesca. Ele também é adorado como o deus da cozinha. É, geralmente, retratado carregando um pargo (símbolo da sorte) em seu braço esquerdo e uma vara de pescar na mão direita. Em Fukagawa, Ebisu é colocado num relicário em Tomioka Hachimangu; em Kaneido, ele pode ser visto no santuário de Katori.



Hotei
, o deus da prosperidade e felicidade. A tradição identifica-o com o excêntrico sacerdote chinês Pu-tai. Geralmente ele aparece rindo com uma grande bolsa cheia de tesouros e um leque (ôgi). Sua grande barriga e seu sorriso simboliza a generosidade. Diz-se que ele é o único mortal entre os Shichifukujin. Uma estátua de Hotei é, normalmente, colocado nas entradas de lojas. Em Fukagawa, Hotei é visto no santuário Fukagawa Inari.

Fukurokuju, de origem chinesa, é o deus da riqueza, longevidade, virilidade e da sabedoria. Ele tem o corpo de um ancião, com rosto alongado, barba branca (símbolo da sabedoria e da mortalidade), segura um leque e um cajado enfeitado com um rolo de pergaminho em que está registrado a sabedoria do mundo.



Jurôjin
, deus da prosperidade e longevidade, tem descendência chinesa, usa uma longa barba branca e um gorro de sábio. Ele está sempre acompanhado por um cervo que é seu mensageiro. Ele é, de vez em quando, representado segurando uma bengala e um pergaminho em que está registrado o segredo da longevidade. Em Fukagawa Jurôjin encontra-se no santuário de Juro.





Benzaiten
(ou Benten) é a única deusa do Shichifukujin. É deusa da eloqüência, da música, da literatura, das artes e ciências, da virtude e da sabedoria, da prosperidade e longevidade; toca o biwa (bandolim japonês) e, às vezes, está acompanhada por uma cobra branca. Em Fukagawa, Benzaiten pode ser vista no santuário de Fuyuki.





Bishamonten, o deus protetor das leis budistas e também deus da prosperidade e da guerra, veste uma armadura, segura uma pequena e antiga moeda da índia (símbolo do budismo) e uma lança em sua mão. Em Fukagawa é adorado no santuário Ryuko-in.



Daikokuten
, originalmente adorado na Índia como deus protetor contra forças malignas, entrou no Japão no século IX pela China. De acordo com a crença popular japonesa, ele é o deus da riqueza. É, freqüentemente, retratado em cima de recipientes de arroz, usando um gorro e em seu ombro esquerdo, há uma grande bolsa com sabedoria e paciência, assim como o maço que chama sorte (uchide No Kozuchi). Daikoku é também considerado Deus da cozinha.

 Busca
 Especial
Especial - Nippo-Brasil
• Festa de celebração do Ano do galo 2017 em São Paulo e previsões
Especial - Nippo-Brasil
• + 10 Provérbios Japoneses
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 311
• Gairaigo: as palavras estrangeiras na língua japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 304
• Provérbios do Japão:
sabedoria através dos tempos
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 302
• Hanami, uma bela tradição japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 301
• Simbologia japonesa: os animais
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 300
• Simbologia japonesa:
as flores e as árvores
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 281
• Você sabe o que significa seu sobrenome?
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 279
• Oriente-se para fazer ginástica!
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 271
• Bonsai, a natureza em miniatura
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 253
• Desvendando os
seres da mitologia japonesa
Especial - Nippo-Brasil
• Kaburimono (literalmente, aquilo que se põe na cabeça)
Especial - Nippo-Brasil
• Conheça alguns amuletos e preces orientais
Especial - Nippo-Brasil
• Shichifukujin, as sete divindades
Especial - Nippo-Brasil
• Daruma: sinônimo de sucesso
Especial - Nippo-Brasil
• A história da Hello Kitty
Especial - Nippo-Brasil
• A história e a tradição do Maneki Nekô no Japão
Especial - Nippo-Brasil
• Escrevendo seu nome brasileiro em caracteres japoneses
Especial - Nippo-Brasil
• 10 Provérbios Japoneses
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 27
• Crueldade marca início
do bairro da Liberdade
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 26
• Liberdade: um pedacinho
do Japão em São Paulo
• Nomes japoneses mais populares de 2013
• Aprender chinês não é tão difícil assim
• Homens donos de casa
• Executivos japoneses no Brasil convivem com diferenças culturais no País
• Japão ainda dificulta a carreira de mulheres
• Japão estimula funcionários a tirarem licença-paternidade
• Ano-Novo no Japão só
termina em meados de janeiro
• Marcos da imigração no Vale do Ribeira viram patrimônios históricos
• Natal à japonesa: sem feriado, ceia, missa e nem panetone
• Mulheres aderem à moda do plastimodelismo
• Editoras japonesas buscam formas de atrair mais leitores
• Ensino de japonês abre horizonte para estudantes da rede pública
• A nova imigração japonesa no Brasil
• Escolas em São Paulo ajudam a preservar cultura japonesa no País
• Mulheres casadas preferem ficar em casa do que trabalhar fora
• Japão oferece facilidades aos portadores de necessidades especiais
• Suicídios afetam 35 mil trens por ano
• Divórcios no Japão e Brasil:
Quando o amor acaba
• Maternidade torna-se problema social no Japão
• Helper: Os cuidadores de idosos
• Taikô à brasileira
• Como escolher o nome em Japonês
• As noivas que atravessaram o Atlântico
• Yosakoi Soran: Uma dança, muitas culturas
• Pontos comerciais guardam a história do bairro da Liberdade

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

109 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases