Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Quinta-feira, 18 de outubro de 2018 - 13h39
 

Banho de Ofurô: cores e sabores de um ritual milenar

(Arquivo Jornal NippoBrasil)

Uma música de fundo com sons da natureza, uma decoração simples e ao mesmo tempo aconchegante, que nos faz lembrar aquelas salas de banhos japoneses, onde é possível esquecer do mundo e se entregar, por alguns minutos, a um dos melhores prazeres da vida: o banho. Saiba que em São Paulo é possível encontrar lugares assim, que oferecem banhos de ofurô, a banheira de tina de madeira tradicionalmente usada pelos japoneses.

Com um cardápio bem variado que vai desde o chamado Banho da Alegria – composto por pétalas de rosas alaranjadas, sal efervescente feito com cascas moídas de limão, laranja e óleos essenciais, que tem a função de aliviar dores, tensão e é revigorante, como o oferecido pelo Zenchi – até os Banhos de Água-de-coco verde, do Kan Tui Espaço do Bem-Estar. Outra dica é o Banho Místico, do Espaço Ki, que reúne as sete ervas do poder (arruda, guiné, alfazema, alecrim, abre-caminhos, espada de São Jorge e sálvia), junto com sal grosso e mel, com a finalidade de revigorar as energias.

Para aqueles que preferem o banho mais para o tradicional, no qual apenas são colocados sais hidratantes na água, existe a clínica da Luiza Sato, que leva seu nome. Segundo a proprietária, os japoneses primeiro costumam tomar um banho de chuveiro para fazer a higienização e só depois entram no ofurô, que serve para aquecer o corpo (com duração de 15 a 20 minutos). “É para dormir melhor e não levar a canseira de um dia para o outro. Com o banho, eliminamos o estresse e a tensão do dia anterior”, esclarece.

O banho de ofurô pode ser tomado em qualquer época do ano. A diferença está na temperatura da água: no inverno é usada em torno de 38º a 40ºC, e no verão varia de 37 a 38ºC. “As pessoas que têm pressão baixa devem tomar muito cuidado e avisar os atendentes sobre o problema, porque a temperatura deve ser mais baixa e o tempo menor, mais ou menos 5 minutos”, explica Luiza.

Considerado uma fonte de terapia milenar, o número de pessoas que estão procurando os banhos cresceu muito. “O meu público é bem misto, mas do ano passado para cá, o público masculino aumentou 40%”, afirma Marcos Motta, idealizador do Kan Tui. Ele comenta ainda que, devido à correria dos dias de hoje, as pessoas estão esquecendo de relaxar e de cuidar mais de si mesmo. Por isso o banho é indicado para combater o estresse, dores musculares, depressão, ansiedade e ainda ajuda a melhorar a auto-estima.

História

O ofurô é uma banheira feita de madeira que conserva a água quente por mais tempo, confeccionado artesanalmente, sem a utilização de pregos, em que se aplica uma técnica especializada de encaixes das madeiras. “Fazer um ofurô é como fazer um violino. É um eterno ritual de lixar, tem que ser perfeito o encaixe da madeira”, explica Marcos Motta.

Segundo Luiza Sato, o surgimento dos banhos de imersão começou quando os japoneses iam banhar-se em águas quentes dentro de cavernas, em busca da cura de várias doenças, inclusive dores causadas pela friagem. Com o passar dos tempos levaram essa terapia para casa, utilizando banheiras de madeira, em que se aquecia a água à base de lenha, por meio de um cano. A evolução permitiu que o aquecimento passasse a ser elétrico e hoje ocorre a mistura do banho ocidental com o oriental.

O formato da banheira, o volume e a temperatura da água são muito importantes: “a pessoa fica na posição fetal, lembrando um útero materno, trazendo sensação de conforto, segurança e bem-estar”, finaliza Luiza.

 

Temperatura da água

De 10ºC a 29ºC – banhos frios
O banho nessa temperatura tem a função de estimular o metabolismo do corpo, diminuindo a irritabilidade muscular. Principais benefícios: tonificar a pele e ajudar a aumentar a imunidade. A duração deve ser de alguns segundos até um máximo de dois minutos.

De 29ºC a 36ºC – banhos mornos
Sua função é preparar o corpo para entrar num banho medicinal. Como a temperatura é agradável, pode-se tomar o banho de 15 minutos a uma hora.

De 38ºC a 41ºC – banhos quentes
Essas temperaturas são usadas para proporcionar relaxamento e alívio muscular. A duração do banho deve ser de cinco a 15 minutos, e de preferência em um horário em que a pessoa não tenha que sair mais de casa.

 

Cuidados na hora de tomar banho de ofurô:

• Quem tem pressão alta deve evitar o banho quente demais.

• Se você não está acostumado com banhos de imersão quentes e de longa duração, o recomendado é tomar um banho rápido de chuveiro por alguns minutos para depois entrar na banheira.

• Não fique no ofurô além do tempo recomendado.

• As grávidas não devem tomar banho de aromaterapia.

• Não tome banho frio se tiver problemas respiratórios.

• Não beba álcool e evite as refeições pesadas antes do banho.

• Para evitar tonturas e fadigas provocadas pelo calor deve-se colocar um pouco de sal na água do banho.

• Deve-se tomar bastante líquido (água, chá, suco) antes, durante e depois do banho, a fim de evitar uma desidratação.

• Evite levantar abruptamente da banheira, porque é comum sentir tonturas ou ocorrer até desmaios.

• Quando for preparar um banho, nunca entre imediatamente. Primeiro prepare a água na temperatura morna, depois entre e, em seguida, acrescente mais água quente.

 
Arquivo Edição 155 - 15 a 21 de maio de 2002 - Especial - Portal NippoBrasil
 Busca
 Especial
Especial - Nippo-Brasil - 14 de maio de 2018
• Escola OEN, fiel à filosofia japonesa desde a sua origem
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 311
• Gairaigo: as palavras estrangeiras na língua japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 304
• Provérbios do Japão:
sabedoria através dos tempos
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 302
• Hanami, uma bela tradição japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 301
• Simbologia japonesa: os animais
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 300
• Simbologia japonesa:
as flores e as árvores
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 281
• Você sabe o que significa seu sobrenome?
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 279
• Oriente-se para fazer ginástica!
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 271
• Bonsai, a natureza em miniatura
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 253
• Desvendando os
seres da mitologia japonesa
Especial - Nippo-Brasil 186
• Bonenkai - Fechar o ano com chave de ouro
Especial - Nippo-Brasil 180
• Danças Japonesas
Especial - Nippo-Brasil 177
• Viciados em Jogos
Especial - Nippo-Brasil 171
• Jardim Japonês: Um cantinho para meditar
Especial - Nippo-Brasil 170
• Alimentos: eles curam?
Especial - Nippo-Brasil 169
• Wadaiko: o estilo japonês de tocar taiko
Especial - Nippo-Brasil 168
• Saque: A bebida milenar japonesa
Especial - Nippo-Brasil 167
• Que bicho é seu pai no Horóscopo Oriental?
Especial - Nippo-Brasil 163
• Watsu uma terapia de lavar a alma
Especial - Nippo-Brasil 161
• Kumon, o método japonês de ensino individualizado: lições para a vida toda
Especial - Nippo-Brasil 155
• Banho de Ofurô: cores e sabores de um ritual milenar
Especial - Nippo-Brasil 154
• Agrade à sua mãe
Especial - Nippo-Brasil 150
• Jogos Japoneses: Shogui e Gô
Especial - Nippo-Brasil
• + 10 Provérbios Japoneses
Especial - Nippo-Brasil
• Kaburimono (literalmente, aquilo que se põe na cabeça)
Especial - Nippo-Brasil
• Conheça alguns amuletos e preces orientais
Especial - Nippo-Brasil
• Shichifukujin, as sete divindades
Especial - Nippo-Brasil
• Daruma: sinônimo de sucesso
Especial - Nippo-Brasil
• A história da Hello Kitty
Especial - Nippo-Brasil
• A história e a tradição do Maneki Nekô no Japão
Especial - Nippo-Brasil
• Escrevendo seu nome brasileiro em caracteres japoneses
Especial - Nippo-Brasil
• 10 Provérbios Japoneses
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 27
• Crueldade marca início
do bairro da Liberdade
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 26
• Liberdade: um pedacinho
do Japão em São Paulo
• Nomes japoneses mais populares de 2013
• Aprender chinês não é tão difícil assim
• Homens donos de casa
• Executivos japoneses no Brasil convivem com diferenças culturais no País
• Japão ainda dificulta a carreira de mulheres
• Japão estimula funcionários a tirarem licença-paternidade
• Ano-Novo no Japão só
termina em meados de janeiro
• Marcos da imigração no Vale do Ribeira viram patrimônios históricos
• Natal à japonesa: sem feriado, ceia, missa e nem panetone
• Mulheres aderem à moda do plastimodelismo
• Editoras japonesas buscam formas de atrair mais leitores
• Ensino de japonês abre horizonte para estudantes da rede pública
• A nova imigração japonesa no Brasil
• Escolas em São Paulo ajudam a preservar cultura japonesa no País
• Mulheres casadas preferem ficar em casa do que trabalhar fora

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2018 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

155 usuários online