Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Terça-feira, 20 de agosto de 2019 - 5h11
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 
Kyuudoo, a arte do arco e flecha


A arte marcial teve seu auge no século 16, utilizada pelo guerreiros

 

Fotos: Divulgação / Arquivo NB

Dentre as chamadas de artes marciais no Brasil, o judô chegou a fazer parte dos jogos Olímpicos como uma das modalidades e o kendô (esgrima japonesa) também é bastante popular. Entretanto, kyuudoo parece nao ter sido tão difundido.

 
 

O AUGE DE KYUUDOO

Desde a antiguidade, as pessoas utilizaram arcos e flechas, confeccionando o arco com galhos de arvores, o fio com cânhamo torcido e a flecha com ponta de pedra, utilizando penas de faisões, pombos selvagens, gansos selvagens, acores e grous. Sabe-se que utilizavam esse instrumento para caçar animais. Nas escavações arqueológicas surgem pontas de flexas de pedra e na mitologia japonesa também constam as palavras arco e flexa.

Entretanto, o auge de sua utilização foi do final do Periodo Heian até o Periodo de guerras civis no século 16, época da ascensão dos bushi ou guerreiros. Seu alcance é normalmente de 300 a 400 metros, chegando a atingir até uma distância de 800 metros e dizem que trespassavam armaduras e cascos de barcos. Nas gravuras dessa época que retrataram os comandantes de tropas montados a cavalo, os mesmos sempre portavam arco e flexa. Havia também uma atividade chamada inuoumono (perseguição de cães) na qual soltavam-se cães em uma arena circular de 38 m de diâmetro e competiam atirando flechas contra eles.

O SURGIMENTO DA ARMA DE FOGO

O método de guerrear mudou radicalmente devido a chegada das primeiras armas de fogo em Tanegashima, no ano de 1543, introduzidas pelos portugueses. Como a arte de lidar com metais já havia sido dominada, não houve dificuldades em desmontar a arma de fogo e reproduzí-la. Entretanto, a novidade ficou por conta do parafuso, que foi dificil reproduzir. Em 30 anos, a arma de fogo se difundiu em todo o Japão, e as batalhas eram decididas pelos daimios que compravam um grande número de armas de fogo e tinham um batalhão de atiradores. Tokugawa Ieyasu, com quem iniciou-se o Período Edo também importava e protegia a fabricação das mesmas.

A AUSÊNCIA DE GUERRA NO PERíODO TOKUGAWA

Em 1603 foi unificado o governo e desde então nos 250 anos subsequentes praticamente não ocorreram guerras. No Periodo Edo, o arco e flecha que era armamento de combate sofreu transformação para kyuudoo, ou seja, a arte marcial do arco e flecha, para o aprimoramento espiritual dos guerreiros. Dizem também que o oitavo shogun Tokugawa Yoshimune (1684-1751) gostava de caçar falcões e por isso treinava a pontaria lançando diariamente 6.000 flechas. Reuniu também as antigas bibliografias sobre kyuudoo e formou uma compilação da arte de arco e flecha. No final da era feudal, os guerreiros não tinham mais o espírito de batalha, assim, quando um deles foi interrogado se teria habilidade para “puxar” um pouco (hiku no sentido de lançar flecha), este pensou que haviam-lhe questionado se saberia “tocar” (hiku no sentido de tocar instrumento musical) shamisen.

YABUSAME

É uma técnica, ressuscitada pelo shogun Yoshi-mune,consiste em lançamento sucessivo de flechas a partir de um cavalo em movimento. Era uma forma de treinar a habilidade, mas foi também utilizada em cerimônias religiosas, e que ainda hoje é preservada. Há uns dez anos atrás, um grupo de praticantes de yabusame vindo do Japão fez uma exibição no Jockey Clube daqui. Na ocasião, o grupo vestido a caráter como guerreiros medievais foi muito aplaudido.

O ATUAL KYUUDOO

Dizem que o kyuudoo atual é um misto dos estilos Ogasawara e Heki. O tamanho padrão do arco é de 2,21m. O comprimento das flechas é um pouco mais longo que a própria altura do arqueiro. Atualmente o arco e flecha ocidental é muito procurado, mas deseja-se que a tradicional arte de kyuudoo não seja esquecida.

 

Arquivo NippoBrasil - Edição 211 - 18 a 24 de junho de 2003
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 213
Onsen (termas)
Arquivo Nippo - Edição 211
Kyuudoo, a arte do arco e flecha
Arquivo Nippo - Edição 209
Hoogaku: Música tradicional japonesa
Arquivo Nippo - Edição 207
Hinagata
Arquivo Nippo - Edição 205
Karesansui - O Jardim Japonês sem Água
Arquivo Nippo - Edição 203
Rakan, a imagem do Iluminado
Arquivo Nippo - Edição 201
Três grandes personalidades marcantes da era Meiji
Arquivo Nippo - Edição 199
Kiriko (Vidros laminados)
Arquivo Nippo - Edição 197
Sekisho, os Postos de Fiscalização
Arquivo Nippo - Edição 195
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 193
Hanafuda
Arquivo Nippo - Edição 191
Setsubun - Mamemaki
Arquivo Nippo - Edição 189
Gojuu no Too - A torre de cinco andares
Arquivo Nippo - Edição 187
ZEAMI, o criador do Nô
Arquivo Nippo - Edição 185
Feira de Hagoita
Arquivo Nippo - Edição 183
Livros editados pelos cristãos
Arquivo Nippo - Edição 181
Quimono
Arquivo Nippo - Edição 179
Kingyo
Arquivo Nippo - Edição 177
História do Daruma
Arquivo Nippo - Edição 175
Koromogae, trocando de estação e de roupa
Arquivo Nippo - Edição 173
Crisântemo, a flor do Japão
Arquivo Nippo - Edição 171
A história dos estudos japoneses no Brasil
Arquivo Nippo - Edição 169
Higuchi Ichiyo será a primeira figura feminina estampada em cédula japonesa
Arquivo Nippo - Edição 165
O grande Festival de Osorezan
Arquivo Nippo - Edição 163
O Monte Fuji
Arquivo Nippo - Edição 161
Óculos
Arquivo Nippo - Edição 159
Sharaku
Arquivo Nippo - Edição 157
KAÔ, um tipo de carimbo personalizado
Arquivo Nippo - Edição 155
Os japoneses e o Impressionismo
Arquivo Nippo - Edição 153
Colheita de Chá
Arquivo Nippo - Edição 151
Undokai, a gincana esportiva
Arquivo Nippo - Edição 149
Ninja
Arquivo Nippo - Edição 147
Os sons dos insetos
Arquivo Nippo - Edição 145
Kanban (Letreiros das casas comerciais)
Arquivo Nippo - Edição 143
Otearai, toalete
Arquivo Nippo - Edição 141
Myoji - Sobrenome Japonês
Arquivo Nippo - Edição 139
Saquê, bebida milenar
Arquivo Nippo - Edição 137
Seijinshiki, a Cerimônia da Maioridade
Arquivo Nippo - Edição 135
Oshogatsu - Ano Novo
Arquivo Nippo - Edição 133
Festival dos Guerreiros de Akoo
Arquivo Nippo - Edição 131
Livros japoneses
Arquivo Nippo - Edição 129
Ryokan, hospedaria estilo japonês
Arquivo Nippo - Edição 127
Yookai: Monstros e fantasmas

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

91 usuários online