Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sábado, 25 de janeiro de 2020 - 12h40
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 
Daruma

Bonecos no templo, em Quioto: venda após a oração
 
Fotos: Divulgação / Arquivo NB

Boneco inspirado no mestre Daruma, da Índia

Recentemente, passamos pela primeira fase das eleições para presidente da República bem como para governadores, senadores e deputados federal e estadual. No Japão é comum vermos os políticos eleitos pintando o olho de daruma (boneco da sorte). Esta é uma prática comum: pinta-se um dos olhos de daruma antes de iniciar um empreendimento, fazendo um pedido. Ao concretizar com sucesso, em sinal de agradecimento, pinta-se o outro olho. Antigamente, a prática era utilizada não só em eleições mas também para alcançar a fartura nos cultivos de cereais e criações de bichos-da-seda. Atualmente, usa-se em época de exames vestibulares, desejando sucesso. O boneco teve como modelo o grande mestre Daruma, que viveu na Índia.

Por que não tem braços nem pernas?

A data de nascimento do mestre Daruma é desconhecida, mas sabe-se que faleceu no ano 528. Nascido numa família de nobres brâmanes da Índia, Daruma foi à China ainda jovem e praticou ascese no templo Shorin (famoso por ser o local de surgimento do estilo marcial Shorinji), no Monte Suuzan. Na ocasião, praticou zazen (meditação praticada na posição sentada com pernas cruzadas, coluna ereta, com a palma da mão direita sobre a esquerda, mantendo em contato os dois polegares e olhos entreabertos) e meditou, atingindo o estado de completa absorção. Buscou o espírito, atingindo a iluminação espiritual conforme os preceitos budistas. Dizem que fundou a seita zen-budista no final do século 5. O boneco reproduz a sua imagem durante a meditação.

Por que é vermelho?

Um dos motivos dessa cor é que no Budismo somente aos monges de graduação mais elevada era permitido o uso da cor vermelha. Outro motivo é que a cor vermelha tem o significado de afastar os maus espíritos das doenças. Na Era Edo (1603-1868), eram comercializados desenhos de Momotaro, Kintaro e outros heróis produzidos em técnica de xilogravura na cor vermelha, como proteção contra a varíola. Na época não havia vacina, e a doença afetava adultos e crianças. A porcentagem de mortalidade também era grande, e por deixar marcas das feridas, os pais afixavam o desenho em tinta vermelha e rezavam a Deus para que não contraíssem a doença.


Qual o significado?

É dito que a origem do Daruma está num brinquedo chamado okiagari koboshi , surgido na Era Muromachi. Tudo indica que é na Era Edo que o brinquedo ganhou o design de Daruma. O brinquedo okiagari koboshi tem o fundo pesado de modo que, mesmo tombando, logo se coloca em pé. Isto foi comparado à tenacidade de quem se levanta logo depois de uma derrota. Simboliza também a disposição mental de esforçar-se até atingir o objetivo mesmo que isso seja penoso, e agradecer quando da realização do feito. Posteriormente, surgiu também o modelo feminino de Daruma, chamado de Hime daruma (daruma-princesa).

Daruma ichi (feira de daruma)


Feira de daruma: bonecos expostos na rua para venda

No templo Daruma, em Quioto, os bonecos daruma são colocados à venda após oração. É grande o número de pessoas que procuram por esses bonecos de sorte, de modo que feiras de Daruma fazem sucesso em todas as regiões do país. Dizem que no leste japonês a procura é especialmente maior. Há também atividade de entrega de bonecos já utilizados em templos a fim de que sejam queimados.

Mesmo no bairro oriental de Liberdade em São Paulo, bonecos Daruma de todos os tamanhos, desde chaveiros até os de grande porte podem ser adquiridos. Quer experimentar pintar o olho do Daruma?

 

Arquivo NippoBrasil - Edição 177 - 16 a 22 de outubro de 2002
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 223
A Festa do Crisântemo
Arquivo Nippo - Edição 221
O Missô na alimentação japonesa
Arquivo Nippo - Edição 219
Miyamoto Musashi
Arquivo Nippo - Edição 217
Yukata
Arquivo Nippo - Edição 215
Gionmatsuri
Arquivo Nippo - Edição 213
Onsen (termas)
Arquivo Nippo - Edição 211
Kyuudoo, a arte do arco e flecha
Arquivo Nippo - Edição 209
Hoogaku: Música tradicional japonesa
Arquivo Nippo - Edição 207
Hinagata
Arquivo Nippo - Edição 205
Karesansui - O Jardim Japonês sem Água
Arquivo Nippo - Edição 203
Rakan, a imagem do Iluminado
Arquivo Nippo - Edição 201
Três grandes personalidades marcantes da era Meiji
Arquivo Nippo - Edição 199
Kiriko (Vidros laminados)
Arquivo Nippo - Edição 197
Sekisho, os Postos de Fiscalização
Arquivo Nippo - Edição 195
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 193
Hanafuda
Arquivo Nippo - Edição 191
Setsubun - Mamemaki
Arquivo Nippo - Edição 189
Gojuu no Too - A torre de cinco andares
Arquivo Nippo - Edição 187
ZEAMI, o criador do Nô
Arquivo Nippo - Edição 185
Feira de Hagoita
Arquivo Nippo - Edição 183
Livros editados pelos cristãos
Arquivo Nippo - Edição 181
Quimono
Arquivo Nippo - Edição 179
Kingyo
Arquivo Nippo - Edição 177
História do Daruma
Arquivo Nippo - Edição 175
Koromogae, trocando de estação e de roupa
Arquivo Nippo - Edição 173
Crisântemo, a flor do Japão
Arquivo Nippo - Edição 171
A história dos estudos japoneses no Brasil
Arquivo Nippo - Edição 169
Higuchi Ichiyo será a primeira figura feminina estampada em cédula japonesa
Arquivo Nippo - Edição 165
O grande Festival de Osorezan
Arquivo Nippo - Edição 163
O Monte Fuji
Arquivo Nippo - Edição 161
Óculos
Arquivo Nippo - Edição 159
Sharaku
Arquivo Nippo - Edição 157
KAÔ, um tipo de carimbo personalizado
Arquivo Nippo - Edição 155
Os japoneses e o Impressionismo
Arquivo Nippo - Edição 153
Colheita de Chá
Arquivo Nippo - Edição 151
Undokai, a gincana esportiva
Arquivo Nippo - Edição 149
Ninja
Arquivo Nippo - Edição 147
Os sons dos insetos
Arquivo Nippo - Edição 145
Kanban (Letreiros das casas comerciais)

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2020 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

236 usuários online