Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Terça-feira, 17 de julho de 2018 - 15h59
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2018
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


 
Koromogae, trocando de estação e de roupa

Quimono awase, com forro, para o inverno
 
Fotos: Divulgação / Arquivo NB

No Brasil não há uma distinção tão clara entre as estações do ano quanto ocorre no Japão, de forma que as vestimentas seguem também critérios individuais. Já no Japão, por conta da grande diferença da temperatura entre o verão e o inverno, há duas datas denominadas koromogae (1º de abril e 1º de outubro) que marcam a divisória entre as duas estações. Nessa época, é realizada a troca de uniforme nas escolas, nas repartições públicas e nas empresas privadas, substituindo o de inverno pelo de verão ou vice-versa, mesmo que ocorra, ainda, alguma incompatibilidade da temperatura com a vestimenta. É uma regra determinada pela sociedade que é respeitada com rigor.

A ORIGEM DE KOROMOGAE
Esta regra é praticada desde o final do século 8, quando ficou determinado que no Palácio Imperial seriam usados trajes de verão entre 1º de abril e 30 de setembro, e trajes de inverno entre 1º de outubro e 31 de março. Os nobres recebiam seus trajes do imperador. Este costume foi adotado posteriormente pelo governo militar, perdurando até a Era Meiji, na segunda metade do século 19. A população também aderiu ao costume.

Koromogae não só significou a troca da vestimenta, mas determinou também a troca de utensílios do palácio. Na época, não havia divisórias corrediças de ambiente como as de hoje. Havia anteparos chamados de kichoo, dos quais trocava-se o tecido por um artigo mais fino. Era uma forma de atenuar o desconforto de um verão com umidade alta.


Verão-inverno: troca de uniformes nas escolas e repartições públicas

OS TIPOS DE QUIMONO
Havia três tipos básicos de quimono: sem forro, chamado hitoe; forrado, chamado awase; e o forrado com enchimento de algodão, denominado wataire. Também, os kosode hadagi, que seriam as roupas íntimas de hoje, os hakama, que correspondem às atuais calças, e até as faixas para quimono em duas versões: com e sem o forro. As pessoas adaptavam as vestimentas à temperatura, sobrepondo peças de algodão e de seda ou retirando-as para protegerem-se do frio ou do calor. O famoso juunihitoe era um conjunto de 12 peças de quimono vestidas sobre um quimono e hakama sem forros. No frio, usavam roupas com enchimento e também tabi (espécie de calçado de tecido). Pelas determinações do governo Tokugawa, não era usado o tabi no período entre 1º de abril e 8 de setembro.

No verão, as pessoas usavam roupas sem forro, e para as crianças havia o chamado kazami, que era um tipo de roupa íntima para absorver o suor. Posteriormente, as mulheres da nobreza também passaram a usar kazami com grandes aberturas nas laterais e com um comprimento maior por cima das roupas íntimas, e há registros de que brincavam prendendo vaga-lumes dentro dele.

A FESTIVIDADE DA TROCA DE VESTIMENTA NOS SANTUÁRIOS
Como preparativo para realizar diversas atividades dedicadas ao Deus Xintoísta, vestia-se quimono após uma purificação física, o que se transformou depois em uma atividade sazonal. Ao trocar as vestes, orava-se ao espírito divino para que pudesse passar a próxima estação com saúde. Esta atividade é realizada ainda hoje nos santuários Ise Junguu, Meiji Jinguu, Atsuta Jinguu e Dazaifu Jinja em Fukuoka, e em vários outros em todo o país. Mesmo no Budismo, a atividade é realizada em Kooyazan e outras localidades.

“PRIMEIRO DE ABRIL” É SOBRENOME
Sabe como se lê a data “primeiro de abril” escrito em ideograma? É watanuki (retirada de algodão), e ainda hoje há pessoas com esse sobrenome. Isto se deve ao costume de retirar nessa data o algodão que servia de enchimento das vestimentas.


Quimono hitoe, para o verão

KOROMOGAE
COMO KIGO
(TERMO INDICATIVO DA ESTAÇÃO DO ANO EM HAICAI)
Em haicai (poema japonês), koromogae passou a ser usada como palavra-chave para marcar a passagem da estação do ano.

“Echigo-ya ni koromo saku oto ya koromogae”, por exemplo., de Kikaku, significa: “Em época de koromogae, de Echigo-ya, ouvem-se sons de partir tecidos”. (nota do tradutor: Echigo-ya era uma conhecida loja de tecidos e que tinha o movimento acentuado na época da mudança de vestimenta).


Arquivo NippoBrasil - Edição 175 - 2 a 8 de outubro de 2002
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 181
Quimono
Arquivo Nippo - Edição 179
Kingyo
Arquivo Nippo - Edição 177
História do Daruma
Arquivo Nippo - Edição 175
Koromogae, trocando de estação e de roupa
Arquivo Nippo - Edição 173
Crisântemo, a flor do Japão
Arquivo Nippo - Edição 171
A história dos estudos japoneses no Brasil
Arquivo Nippo - Edição 169
Higuchi Ichiyo será a primeira figura feminina estampada em cédula japonesa
Arquivo Nippo - Edição 165
O grande Festival de Osorezan
Arquivo Nippo - Edição 163
O Monte Fuji
Arquivo Nippo - Edição 161
Óculos
Arquivo Nippo - Edição 159
Sharaku
Arquivo Nippo - Edição 157
KAÔ, um tipo de carimbo personalizado
Arquivo Nippo - Edição 155
Os japoneses e o Impressionismo
Arquivo Nippo - Edição 153
Colheita de Chá
Arquivo Nippo - Edição 151
Undokai, a gincana esportiva
Arquivo Nippo - Edição 149
Ninja
Arquivo Nippo - Edição 147
Os sons dos insetos
Arquivo Nippo - Edição 145
Kanban (Letreiros das casas comerciais)
Arquivo Nippo - Edição 143
Otearai, toalete
Arquivo Nippo - Edição 141
Myoji - Sobrenome Japonês
Arquivo Nippo - Edição 139
Saquê, bebida milenar
Arquivo Nippo - Edição 137
Seijinshiki, a Cerimônia da Maioridade
Arquivo Nippo - Edição 135
Oshogatsu - Ano Novo
Arquivo Nippo - Edição 133
Festival dos Guerreiros de Akoo
Arquivo Nippo - Edição 131
Livros japoneses
Arquivo Nippo - Edição 129
Ryokan, hospedaria estilo japonês
Arquivo Nippo - Edição 127
Yookai: Monstros e fantasmas
Arquivo Nippo - Edição 125
Kodo - A arte de apreciar fragrâncias
Arquivo Nippo - Edição 123
Noshi - Mizuhiki
Arquivo Nippo - Edição 121
Nihon Buyou
Arquivo Nippo - Edição 119
Hashi
Arquivo Nippo - Edição 117
Karakuri Ningyou
Arquivo Nippo - Edição 115
Dia do Boi
Arquivo Nippo - Edição 113
Hinomaru
Arquivo Nippo - Edição 111
Origami: dobradura de papel
Arquivo Nippo - Edição 109
Parto
Arquivo Nippo - Edição 107
Nakoudo
Arquivo Nippo - Edição 107
Mushiba Yobou Day - Dia da Prevenção das Cáries

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2018 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

166 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases