Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Sábado, 15 de dezembro de 2018 - 19h10
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2018
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


 
Os sons dos insetos

Fotos: Divulgação / Arquivo NB

“Olha o som de matsumushi*: trim, trim, trim, trim....
Também suzumushi** começou a trinar: trim, trim, trim, trim...
Como são divertidos os sons dos insetos
Que passam cantando as longas noites de outono”


Matsumushi: espécie de grilo
(xebogryllus marmoratus)


Suzumushi: também uma espécie de grilo
(homoeogryllus japonicus)

Esta canção faz parte da seleção de músicas do Ministério da Educação de 1911, sendo ainda hoje amplamente cantada. Ao final do verão de intenso calor, quando começam a soprar as brisas refrescantes do outono, os insetos começam a tocar sua sinfonia ao anoitecer.

Ouvindo esses sons, as pessoas da Antigüidade compunham canções, tocavam instrumentos, elaboravam contos, envoltos num profundo sentimento ao comparar a fugacidade da vida das pessoas com a brevidade da vida dos insetos. Consta nos registros do século 11 que naquela época havia o hábito de se colocar insetos nas gaiolas para apreciar seus sons.

Diz-se também que no Período Edo havia criações de insetos.

Poluição sonora abafa os sons dos insetos

Hoje em dia, com a urbanização, o ambiente onde se apreciava sons de insetos sofreu grandes mudanças e, para nossa surpresa, as crianças obtêm seus insetos adquirindo-os nas lojas de departamentos. Mais surpreendente ainda é que há pais que lavam esses insetos com detergente, achando que são sujos. Com o aumento da poluição sonora, os sons dos insetos estão imperceptíveis, causando maior distanciamento entre o homem e a natureza.

Nos últimos tempos, tem aumentado o número de japoneses insensíveis aos barulhos e ruídos.

Há um pesquisador que estuda a sensação de familiaridade aos sons dos insetos como decorrente da diferença da forma de captação deles por parte do cérebro.

Sons da natureza ativam lado esquerdo do cérebro

Em 1972, o dr. Tsunoda Tadanobu, professor da faculdade de medicina da Universidade de Tóquio, realizou testes de reação cerebral à sensibilidade auditiva, envolvendo japoneses e estrangeiros. Pelo resultado obtido, descobriu-se que para os japoneses os sons de frequências desarmônicas, como risos ou choros de pessoas, os sons da natureza, como o dos insetos, e o barulho das águas ativam o lado esquerdo do cérebro. Pesquisando franceses, brasileiros, espanhóis, alemães, raças asiáticas e africanas, descobriu-se o mesmo padrão somente entre os habitantes de Samoa e um povo chamado Tonga, que utiliza o idioma polinésio.

Os nisseis brasileiros estão localizados num ponto mediano desta escala. Diz a respeito de outras raças que “o núcleo linguístico e o núcleo das atividades lógicas situam-se no hemisfério esquerdo e o núcleo emocional, no hemisfério direito. Os sons de máquinas, instrumentos musicais e da natureza são tratados como sons sem significação.

O cérebro dos japoneses reage muito às emoções e sensibilidades não lógicas. Dessa forma podemos explicar parcialmente o seu gosto pelos sons da natureza na literatura como haiku e poesias japonesas, e nas artes como pintura ou caligrafia. Quem tiver interesse no assunto pode ler “O cérebro japonês”, de Raul Marino Júnior, publicado pela Aliança Cultural Brasil-Japão em 1989.


Arquivo NippoBrasil - Edição 147 - 20 de março a 2 de abril de 2002
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 193
Hanafuda
Arquivo Nippo - Edição 191
Setsubun - Mamemaki
Arquivo Nippo - Edição 189
Gojuu no Too - A torre de cinco andares
Arquivo Nippo - Edição 187
ZEAMI, o criador do Nô
Arquivo Nippo - Edição 185
Feira de Hagoita
Arquivo Nippo - Edição 183
Livros editados pelos cristãos
Arquivo Nippo - Edição 181
Quimono
Arquivo Nippo - Edição 179
Kingyo
Arquivo Nippo - Edição 177
História do Daruma
Arquivo Nippo - Edição 175
Koromogae, trocando de estação e de roupa
Arquivo Nippo - Edição 173
Crisântemo, a flor do Japão
Arquivo Nippo - Edição 171
A história dos estudos japoneses no Brasil
Arquivo Nippo - Edição 169
Higuchi Ichiyo será a primeira figura feminina estampada em cédula japonesa
Arquivo Nippo - Edição 165
O grande Festival de Osorezan
Arquivo Nippo - Edição 163
O Monte Fuji
Arquivo Nippo - Edição 161
Óculos
Arquivo Nippo - Edição 159
Sharaku
Arquivo Nippo - Edição 157
KAÔ, um tipo de carimbo personalizado
Arquivo Nippo - Edição 155
Os japoneses e o Impressionismo
Arquivo Nippo - Edição 153
Colheita de Chá
Arquivo Nippo - Edição 151
Undokai, a gincana esportiva
Arquivo Nippo - Edição 149
Ninja
Arquivo Nippo - Edição 147
Os sons dos insetos
Arquivo Nippo - Edição 145
Kanban (Letreiros das casas comerciais)
Arquivo Nippo - Edição 143
Otearai, toalete
Arquivo Nippo - Edição 141
Myoji - Sobrenome Japonês
Arquivo Nippo - Edição 139
Saquê, bebida milenar
Arquivo Nippo - Edição 137
Seijinshiki, a Cerimônia da Maioridade
Arquivo Nippo - Edição 135
Oshogatsu - Ano Novo
Arquivo Nippo - Edição 133
Festival dos Guerreiros de Akoo
Arquivo Nippo - Edição 131
Livros japoneses
Arquivo Nippo - Edição 129
Ryokan, hospedaria estilo japonês
Arquivo Nippo - Edição 127
Yookai: Monstros e fantasmas
Arquivo Nippo - Edição 125
Kodo - A arte de apreciar fragrâncias
Arquivo Nippo - Edição 123
Noshi - Mizuhiki
Arquivo Nippo - Edição 121
Nihon Buyou
Arquivo Nippo - Edição 119
Hashi
Arquivo Nippo - Edição 117
Karakuri Ningyou
Arquivo Nippo - Edição 115
Dia do Boi
Arquivo Nippo - Edição 113
Hinomaru
Arquivo Nippo - Edição 111
Origami: dobradura de papel
Arquivo Nippo - Edição 109
Parto

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2018 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

162 usuários online