Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Domingo, 22 de setembro de 2019 - 9h56
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 040 - 18 a 24 de fevereiro de 2000
 
João Pessoa: onde o sol nasce mais cedo

(Fotos: Divulgação)

Praias quase virgens em pleno nordeste?! Essa é a vantagem de visitar a Paraíba, um Estado menos badalado para turismo que, por este motivo, guarda muitas surpresas. A começar por uma curiosidade: você sabia que aqui está o ponto mais oriental das Américas? Trata-se da Ponta dos Seixas, no Cabo Branco. O que isso significa? Que o dia nasce mais cedo e pode-se aproveitar ainda mais esse litoral recortado por enseadas, falésias coloridas e plantações de coqueiros.

Espremida entre os Estados de Pernambuco e Rio Grande do Norte, a Paraíba tem o terceiro litoral mais curto do país. Mas nem por isso é menos agradável. São 17 quilômetros de praias pouco freqüentadas e preservadas em sua beleza natural. As surpresas estão não só na capital João Pessoa, mas também numa seqüência de enseadas recheadas de praias pequenas, em direção ao sul, e extensas, ao norte. Em todas elas, uma paisagem dos sonhos: água esverdeada e centenas de coqueiros.

As falésias coloridas vão do tom amarelo até o verde e vermelho. No meio dessas formações rochosas, uma enorme voçoroca, fenômeno provocado pela ação das chuvas, chama a atenção. Os “mini-desmoronamentos” causados pelas águas deixam montículos de, no máximo, 10 cm de altura pelo chão, dando a impressão de estarmos observando uma cidade miniatura de faz-de-conta.

João Pessoa, a terceira cidade mais antiga do Brasil, foi fundada em 1585 com o nome de Filipéia de Nossa Senhora das Neves. Sobre o morro do Cabo Branco há um farol e um mirante, que proporcionam a melhor vista da badalada praia do Seixas. Hoje em dia é considerada a cidade mais verde das Américas.

 
Passeios

Uma das mais badaladas praias, a de Tambaú, funciona também como ponto de partida dos barcos de passeio. Talvez o melhor mesmo seja Picãozinho, um conjunto de recifes de corais que na maré baixa se transforma em uma verdadeira piscina em mar aberto. Outra atração imperdível é a praia da Areia Vermelha, um extenso banco de areia cercado de corais que surge durante a maré baixa.

No município de Jacumã, a 34 km de João Pessoa, também há mais um grande atrativo. Trata-se da praia de Tambaba, reservada à prática do naturismo. Numa das enseadas ficam os que se acanham na hora de tirar a roupa. Na segunda, porém, só entram naturistas de carteirinha, ou seja, os totalmente nus. É proibida a entrada de homens sem companhia feminina, ou fotografar ou filmar os naturistas, agir de maneira desrespeitosa ou praticar atos de caráter obsceno nas áreas públicas.

Ao sul, além de Tambaba, as praias que devem ser visitadas são: Barra do Gramame, Carapebus, Tabatinga e Coqueirinho. É possível visitar todas elas em apenas um dia, mas como os turistas se encantam com as belezas destas praias, a sugestão é reservar pelo menos dois dias para visitas nesta direção. A principal atração da Barra do Gramme são as ilhotas que podem ser alcançadas por meio de trilhas de areia. Bastante freqüentada nos fins-de-semana, sua paisagem é uma sucessão de falésias junto à foz do rio Gramame. Carapebus, além das falésias de mais de 70 metros de altura, possui dois rios que banham os manguezais. Já em Tabatinga a diversão é garantida para as crianças pela existência de uma lagoa de águas transparentes. Chegando em Coqueirinho, aproveite a fonte de água mineral para matar a sede.

Ao norte, encarapitada em cima das falésias está a praia do Oiteiro que, sem sombra de dúvidas, é uma das mais bonitas da região. O lugar também se revela um bom mirante para acompanhar as manobras dos surfistas. Mais adiante, surge a Barra do Mamanguape, sede do Centro do Ibama de Preservação do Peixe-Boi.

João Pessoa, conhecida como a cidade mais verde do Brasil, possui dentro de sua zona urbana a maior floresta de Mata Atlântica do mundo, com 471 hectares. Chamada de a Mata do Buraquinho, esta floresta tem um formato parecido com um coração. Outro conhecido parque é o Arruda Câmara (também conhecido como da Bica), que possui reserva zoobotânica de Mata Atlântica e Minizôo. Possui três lagos, fontes de água e riachos, além da fonte de Tambiá, que é do século 18. Outro imponente é o Parque Solon de Lucena, localizado no centro, idealizado pelo paisagista Burle Marx e é repleto de palmeiras imperiais.

Para a diversão da família inteira, o Intermares Water Park, em Cabedelo, a 18 km de João Pessoa, é uma ótima opção de lazer. Este parque aquático fica à beira-mar, com 40 mil metros quadrados de área e 1,8 milhão de litros de água. Entre as várias atrações, há uma Ilha da Fantasia, que com certeza mantém as crianças entretidas para momentos de descontração de casais e amigos.

 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 250
• Brotas: aventura, natureza e descanso
Arquivo NippoBrasil - Edição 249
• Caldas Novas é quente
Arquivo NippoBrasil - Edição 248
• Foz do Iguaçu: natureza, tecnologia e história
Arquivo NippoBrasil - Edição 246
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 245
• Salvador
Arquivo NippoBrasil - Edição 241
• Camboriú
Arquivo NippoBrasil - Edição 238
• Adrenalina total!!!
Arquivo NippoBrasil - Edição 233
• Floripa ou Ilha da Magia, como também é conhecida a capital catarinense
Arquivo NippoBrasil - Edição 231
• Conheça São Paulo de Metrô
Arquivo NippoBrasil - Edição 225
• Belém: capital da fé
Arquivo NippoBrasil - Edição 224
• Litoral norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 223
• Região dos Lagos
Arquivo NippoBrasil - Edição 221
• Paraty: diversão para toda família
Arquivo NippoBrasil - Edição 219
• Circuito Histórico de Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 218
• Atibaia
Arquivo NippoBrasil - Edição 217
• Foz do Iguaçu: Beleza dividida
Arquivo NippoBrasil - Edição 215
• Divirta-se nos arredores de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

199 usuários online