Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Terça-feira, 19 de setembro de 2017 - 23h07
Arquivo - 26 de março de 2015 - Especial - Portal NippoBrasil
 
Escrevendo seu nome brasileiro
em caracteres japoneses

Como já explicado em outras matérias do Nippobrasil, a língua japonesa utiliza três escritas oficiais. A primeira delas é o hiragana, uma escrita silábica de fácil compreensão. É ensinada nos primeiros anos escolares para escrever qualquer palavra em japonês. Basicamente, ela representa os sons e tem quantidade definida. Aprender hiragana é como aprender o alfabeto.

Ex:

Já os ideogramas, ou kanji, constituem outra escrita e carregam significado no próprio caractere. São aprendidos com o passar dos anos e não são mais silábicos. Existem cerca de 2 mil kanji para serem aprendidos até a faculdade.

Ex:

A escrita katakana - para nomes estrangeiros

Por último, e a mais importante escrita para esta seção, é o katakana, caracterizado também pelo som e utilizado especialmente para palavras de origem estrangeira. Na escola japonesa, a tabela do katakana é aprendida logo após a tabela do hiragana.

Todos os nomes que não são japoneses são escritos em katakana. Muitas vezes, os brasileiros acham que seu nome é escrito com um ideograma e este não é o caso na língua japonesa. É possível adaptar um ideograma qualquer somente por meio do som, sem levar em conta seu significado, para criar um nome estrangeiro, mas esta transformação ainda não é comum.

A tabela de sons do katakana é simples, monossilábica, assim como a tabela do hiragana. Entretanto, sons ocidentais são um pouco mais complexos do que os sons japoneses. O alfabeto romano, composto por letras, permite mais variações na formação de palavras, como a junção de duas consoantes, por exemplo, ou tem letras que não existem em japonês, como o "V" ou "L". Reproduzir esses sons em japonês não é nada fácil. O "bra" é lido pelos japoneses como "bura" ou "Burajiru" para a palavra Brasil. Veja a tabela do katakana (1) abaixo.

Alguns sons, como os do "V", "W" ou "F", que não existiam na tabela escrita, já foram devidamente acrescentados na nova Tabela do katakana (2). A letra "V" era pronunciada como "Be", o som mais próximo. A palavra "vitória" era lida como "bitoria". Na prática, os japoneses tradicionais ainda falam "bitoria", mas já é possível escrever "vitória".

Veja a tabela do katakana (1):


Variações:

  


Novos sons criados recentemente em Tabela do katakana (2):

 
 Busca
 Especial
Especial - Nippo-Brasil
• Mês de julho tem Festival das Estrelas
Especial - Nippo-Brasil
• Festa de celebração do Ano do galo 2017 em São Paulo e previsões
Especial - Nippo-Brasil
• + 10 Provérbios Japoneses
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 311
• Gairaigo: as palavras estrangeiras na língua japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 304
• Provérbios do Japão:
sabedoria através dos tempos
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 302
• Hanami, uma bela tradição japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 301
• Simbologia japonesa: os animais
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 300
• Simbologia japonesa:
as flores e as árvores
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 281
• Você sabe o que significa seu sobrenome?
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 279
• Oriente-se para fazer ginástica!
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 271
• Bonsai, a natureza em miniatura
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 253
• Desvendando os
seres da mitologia japonesa
Especial - Nippo-Brasil
• Kaburimono (literalmente, aquilo que se põe na cabeça)
Especial - Nippo-Brasil
• Conheça alguns amuletos e preces orientais
Especial - Nippo-Brasil
• Shichifukujin, as sete divindades
Especial - Nippo-Brasil
• Daruma: sinônimo de sucesso
Especial - Nippo-Brasil
• A história da Hello Kitty
Especial - Nippo-Brasil
• A história e a tradição do Maneki Nekô no Japão
Especial - Nippo-Brasil
• Escrevendo seu nome brasileiro em caracteres japoneses
Especial - Nippo-Brasil
• 10 Provérbios Japoneses
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 27
• Crueldade marca início
do bairro da Liberdade
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 26
• Liberdade: um pedacinho
do Japão em São Paulo
• Nomes japoneses mais populares de 2013
• Aprender chinês não é tão difícil assim
• Homens donos de casa
• Executivos japoneses no Brasil convivem com diferenças culturais no País
• Japão ainda dificulta a carreira de mulheres
• Japão estimula funcionários a tirarem licença-paternidade
• Ano-Novo no Japão só
termina em meados de janeiro
• Marcos da imigração no Vale do Ribeira viram patrimônios históricos
• Natal à japonesa: sem feriado, ceia, missa e nem panetone
• Mulheres aderem à moda do plastimodelismo
• Editoras japonesas buscam formas de atrair mais leitores
• Ensino de japonês abre horizonte para estudantes da rede pública
• A nova imigração japonesa no Brasil
• Escolas em São Paulo ajudam a preservar cultura japonesa no País
• Mulheres casadas preferem ficar em casa do que trabalhar fora
• Japão oferece facilidades aos portadores de necessidades especiais
• Suicídios afetam 35 mil trens por ano
• Divórcios no Japão e Brasil:
Quando o amor acaba
• Maternidade torna-se problema social no Japão
• Helper: Os cuidadores de idosos
• Taikô à brasileira
• Como escolher o nome em Japonês

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

143 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases