Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Sexta-feira, 28 de abril de 2017 - 16h50
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 098 - 5 a 11 de abril de 2001
 
Casas Japonesas

(Fotos: Reprodução / Divulgação)

Passado mas de meio século após a Guerra, pode-se dizer que o estilo de vida japonês se ocidentalizou muito. As construções residenciais tipicamente japonesas são raras hoje em dia. Mas o tatami (esteira com junco japoneses, muito usado no judô) e o shoji (portas com armação de madeira cobertas com papel) continuam. Uma fusão entre o ocidental e o oriental. Num cila quente e extremamente úmido como o do Japão era ideal que as casas tivessem fusuma (portas corrediças), shoji e portas de vidro que são ideais para a troca de ar. Abrindo-se o fusuma e o shoji, a casa inteira se tornava um só comôdo.

No estilo ocidental as casas devem ser bem divididas com o ambiente externo, através de tijolos e concreto, para proteger-se do frio, calor, ventos e chuva. A ventilação e a iluminação feitas através de janelas e do jardim interno. Segundo um famoso arquiteto francês, Monsieur Corbisier, a arquitetura ocidental é a “Luta das Janelas”. Estruturalmente falando é difícil dar a janela uma abertura ilimitada. A construção japonesa não faz uma divisão clara entre ambiente externo e interno, o engawa (varanda) torna-se parte da casa, impede o frio mas permite a circulação eficiente do ar, permite que a luminosidade entre abundantemente e ainda-se ganha a paisagem.

A base desse tipo de construção origina-se na Era Kamakura. Até então a influência religiosa era grande e as construções eram orientadas por pontos cardeais e outros tabus, a melhor sala era onde deveria se ficar o altar para reverência, tornando-se o centro da casa.

Mas os samurais mudaram isso, o espaço sacro foi reduzido a altares, a dependência principal tornou-se a sala de visitas e os quartos, cozinha eram bem singelos. Até então o tatami, mesmo na corte e na nobreza, era usado em uma só parte do cômodo mas a partir da Era Kamakura, com a redução do tamanho das dependências, o tatami passou a cobrir tudo. Então houve uma mudança também na maneira de sentar-se. Antes disso os homens sentavam-se com as pernas cruzadas (agura) e as mulheres sentavam-se com só uma das pernas flexionadas (tatehiza) passaram a sentar em cima dos pés (seiza). Um quarto com tatami é muito versátil pois basta forrar um edredon para que ele torne-se um aposento, colocando-se uma mesa tinha-se uma sala de jantar e se chegassem visitas era só colocar algumas almofadas para se ter uma sala para receber as pessoas. O quarto não possuía muitas mobílias. O tokonoma (espaço nobre, sagrado) surgiu nessa época, pois havia a necessidade de um local para colocar os quadros e enfeites importados da China.

O shoji trouxe a luminosidade impedindo o vento. O amado (porta corrediça externa) além de proteger do vento e da chuva traz mais segurança a noite.

Na Era Meiji, o estilo ocidental propagou-se principalmente nas instalações militares e escolas, a cadeira tornou-se comum. Após a 2ª Guerra Mundial o “Estilo de Vida Americano” tornou-se o padrão. No estilo ocidental a privacidade era importante e os quartos se tornaram individuais. A privacidade estava estabelecida mas pode-se dizer que houve um detrimento da comunicação familiar. Recentemente com o aumento de metrópoles e da população o número de condomínios tem aumentado e a qualidade da casa japonesa tem ficado para trás. Os armários (oshiire) de concreto não tem uma boa ventilação e acumulam muita umidade mas, com certeza, o maior mal que esse tipo de construção nova tem trazido são o stress e as doenças que vão se desenvolvendo lentamente existindo até um termo novo para isso, sick house (casa da doença).

 
Kanji

*Esta página foi elaborada pelos professores da Aliança Cultural Brasil-Japão,
especialmente para o NIPPO-BRASIL.
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 119
Hashi
Arquivo Nippo - Edição 117
Karakuri Ningyou
Arquivo Nippo - Edição 115
Dia do Boi
Arquivo Nippo - Edição 113
Hinomaru
Arquivo Nippo - Edição 111
Origami: dobradura de papel
Arquivo Nippo - Edição 109
Parto
Arquivo Nippo - Edição 107
Nakoudo
Arquivo Nippo - Edição 107
Mushiba Yobou Day - Dia da Prevenção das Cáries
Arquivo Nippo - Edição 106
Amagasa
Arquivo Nippo - Edição 105
Ukai: uma boa pescaria
Arquivo Nippo - Edição 104
Cães de raças japonesas
Arquivo Nippo - Edição 103
Aoi Matsuri em Quioto
Arquivo Nippo - Edição 101
1º de maio - Dia do Trabalho
Arquivo Nippo - Edição 100
Enka
Arquivo Nippo - Edição 100
Os vários penteados ao longo dos séculos - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 99
Os vários penteados ao longo dos séculos - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 99
Dia do Livro
Arquivo Nippo - Edição 98
Geta: Simbolismo aos seus pés
Arquivo Nippo - Edição 98
Casas Japonesas
Arquivo Nippo - Edição 97
Hanami
Arquivo Nippo - Edição 96
Escrita japonesa
Arquivo Nippo - Edição 96
História do quimono - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 96
História do quimono - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 95
História do quimono - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 95
Washoku (Culinária Japonesa)
Arquivo Nippo - Edição 94
A história do Obi
Arquivo Nippo - Edição 94
Nengô
Arquivo Nippo - Edição 93
Nihon ningyô (bonecas japonesas)
Arquivo Nippo - Edição 92
Furô (banho)
Arquivo Nippo - Edição 91
Ennichi
Arquivo Nippo - Edição 90
Daizu (Soja)
Arquivo Nippo - Edição 89
St. Valentine’s Day
Arquivo Nippo - Edição 88
Fujisan
Arquivo Nippo - Edição 87
Kakizome
Arquivo Nippo - Edição 86
Namahage
Arquivo Nippo - Edição 85
Oshougatsu (Ano Novo)
Arquivo Nippo - Edição 84
Shiwasu
Arquivo Nippo - Edição 83
Nengajou (Cartão de ano novo)
Arquivo Nippo - Edição 82
Motitsuki (Pilagem do arroz)

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

120 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases