Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Segunda-feira, 24 de julho de 2017 - 3h46
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 088 - 25 a 31 de janeiro de 2001
 
Fujisan

(Fotos: Reprodução / Divulgação)

Hoje, o Japão é famoso entre os estrangeiros por ser um país possuidor de tecnologia avançada. Mas até a década de 50, o que mais os impressionava era o Monte Fuji. Essa bela montanha com 3.776 metros de altura divide as províncias de Yamanashi e Shizuoka.

O Monte Fuji fica ao lado da Tôkaido, uma das principais estradas do Japão, que liga Tóquio a Quioto. Sua localização conveniente permite, desde a antigüidade, que as pessoas possam apreciá-la.

Existem muitas lendas relacionadas ao Monte Fuji. Uma delas pode-se observar no Taketori-Monogatari, a fábula mais antiga do Japão. Segundo a lenda, um imperador apaixonado por uma menina que nasceu de um bambu ganha um remédio que lhe garante vida eterna. Mas, ao ver a impossibilidade de conquistar o coração dela, ele perde o sentido da vida e queima o remédio na montanha. Dizem, no Japão, que em conseqüência dessa trágica paixão, permanece a fumaça no cume da montanha até hoje.

Também há uma lenda de que Shoutoku-Taishi, um príncipe do século 6, subiu a cavalo até o topo em apenas uma noite. Ainda existe um documento histórico que registra a pesquisa de um funcionário do palácio sobre a erupção vulcânica no século 9. De acordo com o registro, já na época havia alguns moradores no sopé da montanha que adoravam o Fujisan, como é carinhosamente chamada a montanha, como um monte sagrado.

Apesar de tantas histórias, a lenda mais famosa a respeito do Monte Fuji é a de Jikigyou Miroku (1670-1733), um homem que jejuou durante 31 dias no local e morreu rezando, já que ele pedia o fim da miséria e da falta de comida que afligiam a região. Dizem que ele escalou a montanha 32 vezes durante toda sua vida.

Posteriormente, a vida acética levada por Miroku no Monte Fuji é registrada num livro e expande-se entre seus discípulos que o admiram como fundador de Fujikou, a instituição formada por budistas que veneram o Fujisan. Dessa maneira, na era Edo, o Fuji tornou-se um local bastante visitado por turistas e religiosos.

Apenas depois da era Meiji, o Monte Fuji tornou-se uma estância de lazer para milhões de japoneses em férias, que vão ao local em busca de descanso e recreação. Em 1860, Rutherford Alcock, primeiro embaixador inglês no Japão, escalou o Fujisan com cerca de 100 companheiros.

Depois de seis anos, quando era ainda proibida entrada de mulheres no Monte Fuji, a inglesa Harry Smith Parkes sobe o monte e acaba sendo alvo de críticas no Japão. Walter Weston, um missionário estrangeiro atraído pela beleza do local, divertiu-se escalando com suas amigas.

Com a inauguração da ferrovia Tôkaido, no fim do século 19, e Fujisanroku, em 1929, além da abertura de estradas que levam os motoristas até o Monte Fuji, surgiram os primeiros hotéis e atrações na região. Hoje, a montanha ainda possui um radar com 5 metros de diâmetro e serve também como observatório meteorológico, além de abrigar, em seu “pé” instalações do exército.

 

*Esta página foi elaborada pelos professores da Aliança Cultural Brasil-Japão,
especialmente para o NIPPO-BRASIL.
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 133
Festival dos Guerreiros de Akoo
Arquivo Nippo - Edição 131
Livros japoneses
Arquivo Nippo - Edição 129
Ryokan, hospedaria estilo japonês
Arquivo Nippo - Edição 127
Yookai: Monstros e fantasmas
Arquivo Nippo - Edição 125
Kodo - A arte de apreciar fragrâncias
Arquivo Nippo - Edição 123
Noshi - Mizuhiki
Arquivo Nippo - Edição 121
Nihon Buyou
Arquivo Nippo - Edição 119
Hashi
Arquivo Nippo - Edição 117
Karakuri Ningyou
Arquivo Nippo - Edição 115
Dia do Boi
Arquivo Nippo - Edição 113
Hinomaru
Arquivo Nippo - Edição 111
Origami: dobradura de papel
Arquivo Nippo - Edição 109
Parto
Arquivo Nippo - Edição 107
Nakoudo
Arquivo Nippo - Edição 107
Mushiba Yobou Day - Dia da Prevenção das Cáries
Arquivo Nippo - Edição 106
Amagasa
Arquivo Nippo - Edição 105
Ukai: uma boa pescaria
Arquivo Nippo - Edição 104
Cães de raças japonesas
Arquivo Nippo - Edição 103
Aoi Matsuri em Quioto
Arquivo Nippo - Edição 101
1º de maio - Dia do Trabalho
Arquivo Nippo - Edição 100
Enka
Arquivo Nippo - Edição 100
Os vários penteados ao longo dos séculos - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 99
Os vários penteados ao longo dos séculos - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 99
Dia do Livro
Arquivo Nippo - Edição 98
Geta: Simbolismo aos seus pés
Arquivo Nippo - Edição 98
Casas Japonesas
Arquivo Nippo - Edição 97
Hanami
Arquivo Nippo - Edição 96
Escrita japonesa
Arquivo Nippo - Edição 96
História do quimono - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 96
História do quimono - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 95
História do quimono - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 95
Washoku (Culinária Japonesa)
Arquivo Nippo - Edição 94
A história do Obi

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

111 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases