Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Segunda-feira, 23 de setembro de 2019 - 13h09
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-

18 de junho de 1908 ~ 18 de junho de 2019

COMÉRCIO JAPONÊS:
O surgimento das casas comerciais

Setor de tinturaria e lavanderia teve grande presença japonesa

 

Fachada do Banco América do Sul na década de 40
 

(Fotos: Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil)

Inaugurada em 1906 com o nome de “O Japão em São Paulo”, a Casa Fujisaki fechou as suas portas em 1932, após problemas na matriz em Sendai. Mas outras empresas surgiram em São Paulo e no Rio de Janeiro poucos anos depois da chegada do Kasato Maru.

Nos tempos pioneiros, havia os comerciantes cujos negócios foram montados para atender às necessidades inerentes aos nipo-brasileiros. Como exemplo, temos os estabelecimentos no bairro de Pinheiros que atendiam os lavradores da região sudoeste da cidade, tais como Taboão, Campo Limpo e Cotia.

Na zona rural, a partir da década de 20, surgiram os imigrantes que atuavam na intermediação de produtos agrícolas. Eles coletavam as produções, como arroz, café e algodão, e transportavam até o local das máquinas beneficiadoras. Depois, alguns deles constituíram suas próprias empresas de beneficiamento, os chamados “maquinistas”, como a Casa Hisato Fujiwara e Casa Ueno.

O setor de lavanderias e tinturaria teve grande presença dos nipo-brasileiros. Além de exigir pouco capital, possibilitava o trabalho de todos os membros da família. Rokuro Koyama, no livro História dos 40 anos da imigração japonesa, revela que, no final da década de 40, na cidade de São Paulo, havia cerca de 1,5 mil tinturarias e cerca de dois terços pertenciam aos japoneses e seus descendentes. Em 1958, outro levantamento constatava que, em todo o Brasil, 4.356 lavanderias e tinturarias pertenciam aos japoneses. Registrava ainda que 2.013 eram barbeiros e 1.122 fotógrafos.

Já no setor financeiro, as atividades eram desempenhadas pelas empresas de colonização e instituições do Japão. Em 1932, foi constituída a Casa Bancária Tozan (depois, em 1954, Banco Tozan), através da Casa Tozan, que atuava no Brasil desde 1927 com atividades voltadas ao setor agropecuário. Ela serviu de fonte financiadora de atividades agrícolas e foi a pioneira a aceitar contas de depósitos da comunidade nipo-brasileira.

A Casa Bancária Bratac surgiu em 1937, como um dos ramos das inúmeras atividades da Sociedade Colonizadora do Brasil Ltda. (conhecida por Bratac). Em 1940, foi sucedida pelo Banco América do Sul. Havia também a Casa Bancária Kaikô, criada em 1937 (depois sucedida pelo Banco Popular), e a Casa Bancária Brascot (após a Segunda Guerra, foi adquirida pelo Banco Sumitomo).

Nessa área financeira, é importante destacar o Yokohama Specie Bank (sucedido pelo Banco de Tóquio), instalado no Rio de Janeiro, desde 1919, como estabelecimento especializado em câmbio. A partir de meados da década de 30, passou a funcionar como refinanciador das casas bancárias anteriormente citadas.

 



O comércio dos imigrantes
japoneses em 1933

A publicação comemorativa dos 25 anos de imigração no Brasil, de 1933, do jornal Seishu Shimpo, registra as atividades comerciais nas principais cidades do Estado de São Paulo. Elas envolviam produtos agrícolas, secos e molhados, confeitarias, bares, hospedarias, barbearias, transportes, quitanda, farmácias, móveis, etc.

Cidade
Estabelecimentos
São Paulo
159
Santos
99
Bauru
30
Lins
39
Araçatuba
39
Promissão
37
Campo Grande
35
Bastos
26
Presidente Prudente
24
Registro
16
Ribeirão Preto
7


A VIAGEM:
Véspera da partida

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

185 usuários online