Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Sábado, 21 de outubro de 2017 - 23h08
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 172 - 11 a 17 de setembro de 2002
 
Turismo Cultural em Paranapiacaba
Paranapiacaba, um patrimônio cultural, tecnológico e arquitetônico

Neblina, à tarde, na Ferrovia São Paulo Railway:
setembro é mês propício para curtir essa paisagem
 

Detalhe da arquitetura das casas inglesas,
de madeira, construídas em 1897

(Issao Minami / Fotos: Adauto Gonçalves Rodrigues / Arquivo Nippo)

Vila de Paranapiacaba, outrora Alto da Serra, é um núcleo urbano tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo, em 1987, conjuntamente com o complexo ferroviário que deu origem à Vila e, também, com o entorno próximo, que é uma reserva biológica de grande importância para o ecossistema da Serra do Mar. Agora, neste ano, o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) finalmente considerou também a Vila um patrimônio histórico nacional.

Este complexo foi planejado, empreendido, construído e mantido pela “São Paulo Railway Co. Ltd.”, uma “single-enterprise” ferroviária, de 1860 até 1946. Nesse período, Alto da Serra foi um modelo de vila operária que nasceu e sempre viveu em função de uma única atividade e onde imperou uma relação de paternalismo entre os trabalhadores e a empresa. Historicamente, Alto da Serra é composta pela junção de três partes: a Vila Velha, que é o núcleo original, a Vila Martin Smith, a parte projetada, e a Parte Alta ou a Vila dos Aposentados.


Cabine de controle da ferrovia desativada; ao fundo, o relógio trazido
pelos ingleses, ainda em funcionamento, uma espécie de Big Ben

Cenário para muitos filmes

Alto da Serra já em 1887 despertava o interesse de Júlio Ribeiro, que retratou, em seu romance “A Carne”, passagens neste lugarejo. Com a chegada do cinema, no entanto, a bucólica povoação, sempre envolta numa densa neblina, tornou-se locação preferida pelos cineastas e publicitários nacionais.


Locobreque que transportou os imigrantes; hoje, só para exposição. Também, ponte que separa o lado português do lado inglês da Vila, local da exposição fotográfica “Vistas da Ponte”, ao ar livre


Máquina fixa de 1921 e desativada na década de 80: em exposição no Museu Ferroviário

José Mojica Marins, o “Zé do Caixão”, utilizou Paranapiacaba para seus filmes de terror. João Batista de Andrade, inspirado num romance de Geraldo Ferraz, fez com que Paranapiacaba se transformasse na irrequieta cidade de Cordilheira, com suas casas de madeira e o trabalho ferroviário ao dirigir “Doramundo”, estrelado por Antonio Fagundes, Irene Ravache e Rolando Boldrin. Pelé também contracenou em “A Marcha” junto às casas de madeira da Vila. Da mesma forma, o cineasta José de Anchieta rodou seu “Parada 88”, um filme explorando tema ecológico e estrelado por Regina Duarte. Um filme de curta metragem, “Alerta Final”, também foi filmado no povoado.

As cenas de desembarque dos imigrantes japoneses em “Gaijin”, de Tizuka Yamazaki, também foram rodadas na antiga estação. Muitos filmes para publicidade e até uma novela, “Um Homem muito Especial”, se utilizaram da cidade, dos cenários naturais que ela oferece, como a antiga estação e as casas de madeira da Martin Smith.

Aula de arquitetura e engenharia

Naturalmente, Paranapiacaba não só oferece o seu cenário. Possui vegetação exuberante, formando uma imensa reserva biológica. Um clima agradabilíssimo como também uma boa água colhida da serra são requisitos que a torna rota de excursionistas e escoteiros, além de centro de atenções de estudantes, de todos os níveis, à procura de um pouco de história. Eles acabam por encontrar uma verdadeira aula de história da técnica e da engenharia nas obras de arte da construção ferroviária mostradas in loco na Vila e na Serra do Mar e também de uma mostra de exemplos significativos da arquitetura e do sistema construtivo em madeira da Vila Martin Smith e sua implantação exemplar. Oferece, assim, um roteiro de visitação interessante pelo seu aspecto pedagógico-cultural .

 

Para não deixar a Vila acabar

Após a encampação, em 1946, pelo governo federal, aos poucos os sistemas ferroviários originalmente construídos em 1867 e 1901, para a subida e descida da serra, foram sendo substituídos e desativados. Hoje, este patrimônio cultural imenso, constituído pelos equipamentos ferroviários, funiculares, vila operária e seu entorno próximo, formando o Sistema Paranapiacaba, apesar de tombado como um bem cultural, padece, necessitando de urgente intervenção no sentido de inverter o seu rápido estado de degradação física. Atualmente, sérias e contínuas ameaças de descaracterização, instituídas, comprometem irreversivelmente todo este complexo.

Portanto, em respeito a pelo menos seu memorável passado, necessita-se com urgência repensar e redirecionar sua destinação e medidas que impeçam a deterioração de seu espaço constituído pelo patrimônio arquitetônico e ferroviário. A gravidade da situação exige uma postura da sociedade como um todo, pois tomando a Vila de Paranapiacaba como exemplo, o momento exige seriedade de todos os órgãos que têm o dever de zelar pelas condições de preservação dos nossos bens culturais. A SPR Paranap, por meio da Semana do Ferroviário, está fazendo a sua parte.

 
* Prof. Dr. Issao Minami da FAU (Faculdade de Arquitetura e
Urbanismo da Universidade de São Paulo)
 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 176
• Parque Nacional da Chapada Diamantina, natureza em abundância
Arquivo NippoBrasil - Edição 174
• Santa Catarina é só festa
Arquivo NippoBrasil - Edição 172
• Turismo Cultural em Paranapiacaba
Arquivo NippoBrasil - Edição 170
• Parque Nacional da Bocaina: Natureza e sossego em abundância
Arquivo NippoBrasil - Edição 168
• Maringá: Os encantos da “Cidade Verde”
Arquivo NippoBrasil - Edição 166
• Águas de São Pedro, um pequeno paraíso no interior de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 162
• Santo Amaro da Imperatriz, águas termais e aventura em Santa Catarina
Arquivo NippoBrasil - Edição 158
• Amazônia com conforto
Arquivo NippoBrasil - Edição 136
• Fernando de Noronha: Patrimônio Natural da Humanidade
Arquivo NippoBrasil - Edição 132
• Ilhabela: O encanto do litoral paulista
Arquivo NippoBrasil - Edição 131
• Porto Seguro: Praia de Santo André
Arquivo NippoBrasil - Edição 127
• Ecoturismo: Uma visão diferente de Santa Catarina
Arquivo NippoBrasil - Edição 123
• Araxá
Arquivo NippoBrasil - Edição 115
• Costa do Sauípe: Lazer, Paisagem e Comodidade
Arquivo NippoBrasil - Edição 113
• Caldas Novas: Opção para se esquentar no inverno
Arquivo NippoBrasil - Edição 111
• Pescaria: Os encantos da natureza são infindáveis
Arquivo NippoBrasil - Edição 109
• Jacobina: Circuito das Cachoeiras na Bahia
Arquivo NippoBrasil - Edição 105
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 103
• João Pessoa: ponto extremo oriental das Américas

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

148 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases