Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Quarta-feira, 22 de março de 2017 - 19h06
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 166 - 3 a 9 de julho de 2002
 
Águas de São Pedro, um pequeno
paraíso no interior de São Paulo
Com suas fontes medicinais, a cidade hidromineral é
boa alternativa para quem busca tranqüilidade

MINI HORTO: sossego e contato com a natureza
 

(Texto e fotos: Ana Paula Adachi / Arquivo Nippo)

Águas de São Pedro pode ser considerado um pequeno paraíso. Pequeno porque é o menor município brasileiro em extensão territorial fazendo limite apenas com a cidade de São Pedro, e paraíso devido às possibilidades de estar em contato com a natureza e ter o privilégio de usar as águas medicinais existentes neste lugar.

A cidade hidromineral fica a 180 quilômetros da capital paulista levando vantagem no clima moderado, em média 26 ºC, e é uma boa opção para quem está em busca de sossego e ar puro. Além de uma imensa extensão vegetativa – quase metade da cidade é composta de áreas verdes, há fontes que ajudam no tratamento de doenças. Isto porque, nas águas locais, de acordo com pesquisas do Instituto Brasileiros de Geografia e Estatísticas (IBGE), há um alto teor de sais de enxofre, sendo consideradas a segunda no mundo e a primeira das Américas.

No Balneário Municipal Dr. Octávio Moura Andrade, o visitante pode se banhar após o pagamento de uma taxa de 8 reais. Estes banhos são indicados principalmente para hipertensos, devido a sua qualidade benéfica. Além disso, no local há tratamentos estéticos, academia de ginástica, acupuntura e sauna.

Além do balneário, existem as fontes medicinais onde várias pessoas levam a água em galões para beneficiar-se de seus poderes terapêuticos. A Fonte Almeida Salles possui água bicarbonatada sódica, indicada no tratamento de azia, excesso de acidez gástrica e diabetes. Já a Fonte Gioconda, oferece água sulfatada sódica, indicada no tratamento de males do fígado, vesícula biliar e intestinos. E finalmente a Fonte Juventude, que contém água sulfurosa, indicada no tratamento de reumatismo, diabete, alergia, asma, colites, moléstia da pele, intoxicação e inflamação.

 

Passeios

Entre tantas opções destacamos o parque Maria Angélica, que garante a diversão da garotada em uma grande área verde e com playgound; o Mini-horto, que apresenta um lago com carpas coloridas, uma cascata artificial com diversas espécies de flores e plantas compondo um visual inesquecível.

Mas se você já se empolgou em fazer as malas, não esqueça de visitar estas outras opções deste pequeno paraíso: o mini-Pantanal, nas margens do Rio Araquá, que exibe uma variedade de animais como capivaras, jacarés e pássaros de diversas espécies tornando um cenário realista do pantanal Matogrocensse; a capela Nossa Senhora Aparecida, com estilo suiço, o relógio do sol, os bosques que garantem uma vegetação rica; a igreja matriz Imaculada Conceição, que possui estilo arquitetônico moderno; o Parque das Águas, com áreas para a prática de esportes, o Parque Dr. Octávio Moura Andrade, um lugar ideal para relaxar, curtir a natureza e caminhar pelas trilhas existentes. A Torre Balloni é o marco na cidade na época de busca do petróleo, pois foi através dela que foram descobertas os poderes das águas. Enfim, uma cidade turística que conquista a cada dia novos visitantes devido a sua hospitalidade, serviços e o principal: seus atrativos naturais.

 

INFRA-ESTRUTURA - Centro de Educação, Turismo e Hotelaria
 

O começo da história da cidade

Antigamente, Águas de São Pedro era apenas uma região cafeeira onde trabalhavam vários escravos. Com a abolição, a região necessitou de mão-de-obra e o caso só foi resolvido com a vinda de colonos europeus. Muitos destes imigrantes eram italianos e, em menor quantidade, suíços e alemães vieram para a região de Rio Claro, Ipeúna, Limeira, Piracicaba e São Pedro.

Por volta do século 19, a região onde hoje está localizada a cidade de São Pedro era conhecida como o Pouso do Picadão, utilizada para pernoite de tropeiros. Mais tarde, em Itú, vieram os Teixeira, considerados como os primeiros povoadores do local, e com Floriano da Costa Pereira dando início ao povoado de São Pedro.

Em 1940, o interventor do Estado de São Paulo, Adhemar de Barros, destacou no município de São Pedro uma área reservada à futura estância pela empresa Águas Sulphídricas e Thermaes de São Pedro S/A. com a denominação de Águas de São Pedro. Em 25 de julho do mesmo ano, foi fundada a cidade Águas de São Pedro e inaugurado o Grande Hotel São Pedro, atualmente exemplo em atendimento e infra-estrutura, e transformado até mesmo em escola de hotelaria do Senac. Finalmente, no dia 24 de dezembro de 1948, a área foi transformada em município autônomo, independente de São Pedro.

 

CAPELA NOSSA SENHORA APARECIDA: estilo suíço
 

Do ouro negro ao presente precioso


Balneário: ao invés de petróleo, água medicinal

Devido ao cheiro semelhante ao combustível que emanava de suas terras, O Bairro do Querosene, despertavam interesses daqueles que estavam em busca de petróleo no País. Em 1921, tiveram início a primeiras prospeções pelo Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil - SGMB.

Depois de várias perfurações e tentativas frustradas, as torres de petróleo foram removidas e pequenos lagos começaram a se formar no solo naturalmente, surgindo então, as “águas milagrosas”. Ângelo Franzin, proprietário de um desses locais, percebeu que seus animais, ao beberem aquelas águas malcheirosas, melhoravam de aspecto, pareciam sadios e com uma bonita pelagem. Em 1930, Ângelo Franzin, em viagem a Poços de Caldas para tratamento de reumatismo, pode ele mesmo verificar que as águas de lá tinham o mesmo odor das águas de sua propriedade.

Em 1932, Franzin solicitou a José Azzini que construísse um quarto de banho. A banheira desse local que é considerado o primeiro balneário, foi feito com a aproveitamento das folhas de zinco de um velho torrador de café. A partir de então, foram construídos mais quatro quartos e os banhos passaram a ser cobrados.

Mas foi em 1934, que uma sociedade organizada adquiriu quatro alqueires de terra circundando as três fontes existentes. Construiu-se um novo balneário de alvenaria, com dez quartos, que entrou em funcionamento em fevereiro de 1935. Para um melhor atendimento aos banhistas, foi adquirida uma jardineira, que fazia o transporte entre São Pedro e o novo balneário. Neste mesmo ano, Samuel Alves Martins, Juiz de Direito da Comarca de São Pedro, tomou conhecimento da qualidade das águas do Poço Franzin e solicitou a vinda de médicos sanitaristas para exame dessas águas. Obtiveram resultados diferentes dos esperados, ao invés de encontrar o tão cobiçado “ouro negro”, encontraram outra preciosidade: as águas medicinais ricas em minerais e na sua qualidade.

O marco inicial desta descoberta é mantida até hoje em sua forma original: a Torre de Petróleo Balloni, a qual deu início a construção da Estância Hidromineral de Águas de São Pedro, considerada hoje a capital da cura e do repouso.

 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 176
• Parque Nacional da Chapada Diamantina, natureza em abundância
Arquivo NippoBrasil - Edição 174
• Santa Catarina é só festa
Arquivo NippoBrasil - Edição 172
• Turismo Cultural em Paranapiacaba
Arquivo NippoBrasil - Edição 170
• Parque Nacional da Bocaina: Natureza e sossego em abundância
Arquivo NippoBrasil - Edição 168
• Maringá: Os encantos da “Cidade Verde”
Arquivo NippoBrasil - Edição 166
• Águas de São Pedro, um pequeno paraíso no interior de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 162
• Santo Amaro da Imperatriz, águas termais e aventura em Santa Catarina
Arquivo NippoBrasil - Edição 158
• Amazônia com conforto
Arquivo NippoBrasil - Edição 136
• Fernando de Noronha: Patrimônio Natural da Humanidade
Arquivo NippoBrasil - Edição 132
• Ilhabela: O encanto do litoral paulista
Arquivo NippoBrasil - Edição 131
• Porto Seguro: Praia de Santo André
Arquivo NippoBrasil - Edição 127
• Ecoturismo: Uma visão diferente de Santa Catarina
Arquivo NippoBrasil - Edição 123
• Araxá
Arquivo NippoBrasil - Edição 115
• Costa do Sauípe: Lazer, Paisagem e Comodidade
Arquivo NippoBrasil - Edição 113
• Caldas Novas: Opção para se esquentar no inverno
Arquivo NippoBrasil - Edição 111
• Pescaria: Os encantos da natureza são infindáveis
Arquivo NippoBrasil - Edição 109
• Jacobina: Circuito das Cachoeiras na Bahia
Arquivo NippoBrasil - Edição 105
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 103
• João Pessoa: ponto extremo oriental das Américas
Arquivo NippoBrasil - Edição 100
• Natal a cidade do sol no nordeste
Arquivo NippoBrasil - Edição 99
• Descobrindo os encantos do Mato Grosso
Arquivo NippoBrasil - Edição 97
• Recife
Arquivo NippoBrasil - Edição 96
• Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Arquivo NippoBrasil - Edição 94
• Circuito Mineiro das Águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 93
• Lençóis Maranhenses
Arquivo NippoBrasil - Edição 91
• São Sebastião
Arquivo NippoBrasil - Edição 90
• Itacaré
Arquivo NippoBrasil - Edição 88
• Camboriú: principal pólo turístico do sul do País

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

137 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases