Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Quarta-feira, 22 de março de 2017 - 19h07
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 123 - 27 de setembro a 3 de outubro de 2001
 
Araxá

Escultura de Tomie Ohtake, em aço inoxidável, na entrada da cidade
 

(Fonte: Secretaria Municipal de Turismo de Araxá | Fotos: Divulgação)


Fonte Dona Beja

Ruínas do Hotel Rádio

Vitrais da redoma do Hotel Barreiro

Os índios “Araxás” (“aqueles que habitam lugar onde se avista o sol”) foram sábios ao escolher as terras que abrigariam sua tribo. O lugar, um aprazível recanto dos sertões de Minas Gerais, possuía caça abundante e águas de excelente qualidade. Hoje, muitos séculos depois, Araxá é uma das mais belas e completas cidades do interior brasileiro. Conhecida internacionalmente, é considerada como a mais bela estância hidrotermal do continente.

Araxá está situada a 973 metros de altitude, sobre um planalto na região do Triângulo Mineiro/ Alto Paranaíba. Seu clima é ameno e agradável, mantendo uma média anual de 21o C.

No Barreiro, a 5 km do centro da cidade, encontram-se as maiores atrações turísticas de Araxá. Seu nome teve origem na lama formada pelas águas de suas fontes naturais, onde os sais minerais acumulados em suas rochas atraíam o gado dos primeiros colonizadores. Localizado em um relevo com características vulcânicas, onde ocorreu transformações geológicas profundas há 80 milhões de anos, o Barreiro é envolvido por encostas verdes e uma paisagem exuberante.

O local abriga inúmeras atrações como o Grande Hotel, uma obra arquitetônica imponente, com aproximadamente 33 mil metros quadrados de área construída, que marcou o avanço tecnológico da época. Salões decorados por rico mobiliário, lustres de cristais da Boêmia, janelas com cristais franceses bisotados, obras de arte em afrescos e vitrais fazem dele uma opção agradável de hospedagem.

Ligadas ao Grande Hotel por uma galeria suspensa estão as Termas de Araxá. No piso desse hall, em forma circular, contrasta o desenho de uma cabala de oito pontos. Nas paredes que o circundam está registrada a história da colonização de Araxá e no segundo piso, a história dos banhos dos séculos. É desse local que saem as alas que dão acesso aos diversos tipos de banhos - de lama, sulfurosos e radioativos – ideais no tratamento da pele, problemas reumáticos e para relaxar.


ANDRADE JR. - água alcalina-sulfurosa e fósseis de animais

Fontes

Circundada por um lago de lama e água sulfurosa, em frente ao Grande Hotel está localizada a Fonte Andrade Jr., onde jorra em abundância a água alcalina-sulfurosa, indicada para tratamentos de diabetes, obesidade, problemas gástricos, reumatológicos e outros. Os bebedouros são abastecidos por águas que emergem naturalmente a uma temperatura de 32º C.

Já no lado oposto à entrada principal do parque do Barreiro, jorra a água radioativa em forma de emanatório. As águas radioativas brotam entre pedras vulcânicas, distribuídas para bebedouros e para as duchas cascatas, localizadas no prédio de plano inferior, quase ao nível do lago. O uso dessas duchas provoca uma massagem saudável e energizante, propiciando a inalação de gotículas suspensas.

Outras atrações do Barreiro

O Parque do Barreiro abriga uma gama variada de atrações que valem uma parada como o Lago do Barreiro, uma lago artificial circundado por trilhas para passeios; as ruínas do Hotel Rádio, um dos mais antigos prédios da cidade transformado em um parque de lazer e recreação, possuindo pistas para caminhadas e ciclismo, áreas para piqueniques, pomares silvestres, mirantes e outras atrações naturais.

A 1800 metros do parque, seguindo por uma trilha, encontra-se a Mata da Cascadinha onde, segundo reza a lenda, Dona Beja – um dos maiores mitos da história mineira e tema de inúmeros carnavais e novelas – banhava-se em suas nascentes causando furor e curiosidade nos mais recatados araxaenses.

A 25 km do centro da cidade, pela estrada Araxá-Tapira, é possível se deparar a uma paisagem fascinante proporcionada pelo Morro do Horizonte Perdido, onde é possível praticar uma série de esportes radicais (paraglider, rapel, asa delta), fazer caminhadas ecológicas e tomar banhos refrescantes em cachoeiras.

Para quem não dispensa uma boa pescaria, existem lagos, rios e ribeirões onde a pesca é permitida em determinadas épocas do ano. Para isso, basta contar com a permissão de proprietários rurais da região. Um bom número de ranchos particulares dão suporte e abrigo aos pescadores.

 

Tradições culturais


Museu Histórico de Araxá-Dona Beja

Não é só do Parque do Barreiro que vive o turismo de Araxá. A cidade está repleta de atrações e belezas que encantam seus visitantes como o Museu Histórico de Araxá-Dona Beja, cujo acervo é composto de 300 peças de mobiliário, objetos e imagens sacras do século XIX que retratam a história da cidade e suas tradições culturais.

Igreja de São Sebastião, Parque do Cristo, Fundação Cultural Calmon Barreto... são tantas as coisas para se ver em Araxá, que difícil é ficar parado. Uma sugestão é procurar o Centro de Informações Turísticas, localizado no pátio de estacionamento do Estádio Fausto Alvim, para conseguir as melhores dicas de passeio.

 
 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 176
• Parque Nacional da Chapada Diamantina, natureza em abundância
Arquivo NippoBrasil - Edição 174
• Santa Catarina é só festa
Arquivo NippoBrasil - Edição 172
• Turismo Cultural em Paranapiacaba
Arquivo NippoBrasil - Edição 170
• Parque Nacional da Bocaina: Natureza e sossego em abundância
Arquivo NippoBrasil - Edição 168
• Maringá: Os encantos da “Cidade Verde”
Arquivo NippoBrasil - Edição 166
• Águas de São Pedro, um pequeno paraíso no interior de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 162
• Santo Amaro da Imperatriz, águas termais e aventura em Santa Catarina
Arquivo NippoBrasil - Edição 158
• Amazônia com conforto
Arquivo NippoBrasil - Edição 136
• Fernando de Noronha: Patrimônio Natural da Humanidade
Arquivo NippoBrasil - Edição 132
• Ilhabela: O encanto do litoral paulista
Arquivo NippoBrasil - Edição 131
• Porto Seguro: Praia de Santo André
Arquivo NippoBrasil - Edição 127
• Ecoturismo: Uma visão diferente de Santa Catarina
Arquivo NippoBrasil - Edição 123
• Araxá
Arquivo NippoBrasil - Edição 115
• Costa do Sauípe: Lazer, Paisagem e Comodidade
Arquivo NippoBrasil - Edição 113
• Caldas Novas: Opção para se esquentar no inverno
Arquivo NippoBrasil - Edição 111
• Pescaria: Os encantos da natureza são infindáveis
Arquivo NippoBrasil - Edição 109
• Jacobina: Circuito das Cachoeiras na Bahia
Arquivo NippoBrasil - Edição 105
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 103
• João Pessoa: ponto extremo oriental das Américas
Arquivo NippoBrasil - Edição 100
• Natal a cidade do sol no nordeste
Arquivo NippoBrasil - Edição 99
• Descobrindo os encantos do Mato Grosso
Arquivo NippoBrasil - Edição 97
• Recife
Arquivo NippoBrasil - Edição 96
• Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Arquivo NippoBrasil - Edição 94
• Circuito Mineiro das Águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 93
• Lençóis Maranhenses
Arquivo NippoBrasil - Edição 91
• São Sebastião
Arquivo NippoBrasil - Edição 90
• Itacaré
Arquivo NippoBrasil - Edição 88
• Camboriú: principal pólo turístico do sul do País

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

136 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases