Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Domingo, 22 de setembro de 2019 - 9h54
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 010 - 16 a 22 de julho de 1999
 
Abrolhos - Um arquipélago cheio de vida
 

(Fotos: Divulgação / Freeway Adventures)

A Bahia é conhecida como a Terra da Felicidade. E não é por acaso : são quase mil quilômetros de praias, belos patrimônios culturais, históricos e naturais. E é neste Estado que está também o arquipélago de Abrolhos, o primeiro Parque Nacional, criado e protegido pelo IBAMA, que tem seus atributos excepcionais protegidos, conciliando a proteção integral da flora e fauna e das belezas naturais.

Considerado um dos melhores locais para mergulho do Brasil, tem seus 673 km² habitados por 160 espécies de peixes e uma diversidade de aves e tartarugas. Biólogos têm conseguido administrar a região, mesmo porque a distância de 70 km da costa já ajuda a preservá-lo. Sua beleza quase que intocada é o principal atrativo da região, famosa por seus recifes de corais e alto grau de visibilidade de suas águas transparentes.

O arquipélago é formado por cinco ilhas, mas é permitido desembarcar somente em uma. Na ilha Siriba, os turistas realizam uma caminhada para visualização de formações vulcânicas e podem observar de perto os vistosos atobás, grazinas e os beneditinos que descansam ao sol. Os turistas só podem permanecer nesta ilha para o passeio com os biólogos, não podendo pernoitar. As outras ilhas são Santa Bárbara, Redonda, Sueste e Guarita. Dispostas em arco, por serem provavelmente restos da borda de uma cratera vulcânica, essas formações rochosas abrigam um dos maiores, mais raros e exuberantes recifes de coral do Atlântico Sul. Além das ilhas, o parque comporta também o Parcel dos Abrolhos e o Recife dos Timbebas.

QUANDO IR
O período de julho a novembro é a melhor época para visitar este santuário ecológico. É nessa época que as baleias Jubarte chegam, vindas da Antártida (depois de nadar cerca de 5 mil quilômetros), para ter seus filhotes nas águas mornas do Arquipélago. Chegam a medir até 16 metros e pesar cerca de 40 toneladas, emitem sons e contribuem com um espetáculo à parte.

Além das famosas baleias, há diversas espécies de peixes entre os quais destacam-se as enguias, arraias, moréias, além da presença constante de tartarugas e golfinhos e uma infinidade de peixinhos coloridos, transformando Abrolhos num magnífico paraíso natural.

 
Passeios

No continente, ao sul da Bahia, os principais pontos de saída dos barcos são Caravelas e Alcobaça. A distância de 70 quilômetros pode ser percorrida por diversos tipos de embarcações. Para os que querem uma visita rápida, a opção é embarcar em uma lancha off-shore, que leva 1 hora, ou Oceânica, cujo percurso demora pouco mais de 2 horas. Mas, para os que querem curtir por mais tempo as belezas do arquipélago, a opção é pernoitar por uma, duas ou três noites em escunas. Porém, o percurso neste caso é mais demorado: de 4 a 6 horas. A vantagem é que dispõe-se de mais tempo para visitar os pontos de mergulho e conhecer cavernas e naufrágios.

A biodiversidade da região dos Abrolhos fascina ecologistas, estudiosos e turistas em geral. Basta lembrar que em Abrolhos há uma das maiores concentrações de peixes - tanto em quantidade como em variedade - por metro quadrado do planeta. O que realmente propicia o mergulho na região é o fato de que a temperatura média da água é de 22/24 graus.

O Brasil tem uma versão da Grande Barreira de Corais da Austrália que, mesmo sendo bem menor, é tão bela e original quanto. Trata-se do Parcel das Paredes, que lembra uma cidade submersa e ainda é um paraíso desconhecido pelos mergulhadores. Representa um perigo para a navegação devido à sua imensidão. Ele ocupa uma área de 50 mil hectares, a apenas 13 Km da costa.

Muitos turistas vão até essa região no litoral do sul da Bahia para pescar. Normalmente leva-se 2 horas em barco de pesca de camarão para chegar às pedras ou entre as cadeias de corais, onde se encontram diversos tipos de peixes como a barracuda, badejo, garoupa, guaricema, guaiuba, griacó, etc. Já na cidade de Alcobaça os pescadores encontram robalos nos canais.

ONDE AGITAR
O agito mesmo está em Porto Seguro, nas diversas barracas à beira mar. A Barramares promove casamento cigano com uma grandiosa festa noturna, a Vira Sol agita com seus dançarinos durante todo o dia. Em Prado não deixe de visitar o Beco das Garrafas, uma rua interditada com mesinhas, de diversos restaurantes e bares, ao ar livre e com som ao vivo nos finais de semana. Em Trancoso, as turmas se encontram no Quadrado, uma praça com diversos bares que ficam tomados por turistas durante à noite.

 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 250
• Brotas: aventura, natureza e descanso
Arquivo NippoBrasil - Edição 249
• Caldas Novas é quente
Arquivo NippoBrasil - Edição 248
• Foz do Iguaçu: natureza, tecnologia e história
Arquivo NippoBrasil - Edição 246
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 245
• Salvador
Arquivo NippoBrasil - Edição 241
• Camboriú
Arquivo NippoBrasil - Edição 238
• Adrenalina total!!!
Arquivo NippoBrasil - Edição 233
• Floripa ou Ilha da Magia, como também é conhecida a capital catarinense
Arquivo NippoBrasil - Edição 231
• Conheça São Paulo de Metrô
Arquivo NippoBrasil - Edição 225
• Belém: capital da fé
Arquivo NippoBrasil - Edição 224
• Litoral norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 223
• Região dos Lagos
Arquivo NippoBrasil - Edição 221
• Paraty: diversão para toda família
Arquivo NippoBrasil - Edição 219
• Circuito Histórico de Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 218
• Atibaia
Arquivo NippoBrasil - Edição 217
• Foz do Iguaçu: Beleza dividida
Arquivo NippoBrasil - Edição 215
• Divirta-se nos arredores de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

201 usuários online