PORTAL NIPPOBRASIL ONLINE - 19 ANOS
-
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
Terça-feira, 17 de outubro de 2017 - 5h48
DESTAQUES:
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Caderno Pesca

Linhas de pesca
Confira as características e os detalhes de uso e conservação

(Texto e Fotos: www.pesca.com.br)

A linha de pesca sofreu um processo de evolução em suas características e, com pesquisas nesses 50 anos, apareceram materiais sintéticos de alta resistência e elasticidade. Assim, vieram as fibras monofiladas (o náilon, a poliamida e o poliéster) e, em seguida, as de fibras sintéticas microfilamentadas (Kevlar, Spectra), que são microfilamentos trançados. Poucos pescadores conhecem a capacidade de resistência da sua linha de pesca e de detalhes importantes para sua conservação e durabilidade. Existe o efeito “memória” da linha, que é o tempo em que a linha permanece no carretel do seu molinete e provoca a espiralada e contorções problemáticas na hora do lançamento, provocando embaraços e perda da capacidade de se atingir a distância e o alvo desejados.

 
Tipos

Convencional
Tratando-se do uso das linhas convencionais para as diversas modalidades da pesca esportiva, temos no mercado uma infinidade de boas marcas. Na pesca de arremesso, a busca de se alcançar longas distâncias (canais), para lançamentos produtivos, além arrebentação, provocou uma revolução benéfica para os desportistas dos torneios ou competições. Além das linhas convencionais, as importações trouxeram material (molinetes, varas, anzóis, linhas, etc.) e um campo excelente para o aprimoramento e busca de tecnologia mais atualizada, fazendo com que todo o segmento de material de pesca colocado à disposição dos pescadores fosse modernizado e acessível.

As superlinhas
Ultimamente, tem-se ouvido uma insistente pergunta: “As superlinhas vão desbancar as linhas de nylon?”. Antes de responder aos nossos amigos pescadores, vamos tecer alguns comentários sobre as superlinhas. Há poucos anos, foi descoberta uma fibra sintética (Spectra) que é a matéria-prima de quase todas as superlinhas e que consiste em microfilamentos trançados para compor uma única linha fina. Comparativamente, a linha de nylon é quatro vezes inferior à resistência de uma superlinha, se levarmos em consideração a mesma milimetragem, ou, inversamente, em linhas com resistência igual, uma super-linha tem a metade do diâmetro das linhas convencionais (monofilamentos).
Temos que ressaltar como propriedade positiva a elasticidade, já que a convencional possui 25% e a superlinha não ultrapassa 5% e, em razão disso, a força aplicada no caniço é toda transmitida rapidamente até a extremidade (chumbada com anzóis), conseqüentemente trazendo uma maior sensibilidade na ferrada do peixe. Deve-se estar atento para o balanceamento que deve existir no conjunto: vara, molinete e diâmetro da superlinha, em função das características específicas das diversas modalidades de pesca e do peixe. Já existem nas lojas diversas marcas das superlinhas, embora o seu preço seja “salgado”. Devemos observar o aspecto da resistência e da durabilidade, haja vista, segundo os fabricantes, que a nova fibra sintética seja imune aos raios ultravioletas do sol que atacam as linhas de nylon, deixando-as mais frágeis e com um alto grau de ressecamento. Conforme registros de indicações industriais, a garantia é de até três anos, em condições normais.É bom lembrar aqui os pontos contraditórios no uso das superlinhas nas pescarias e, inicialmente, registrarmos que a baixa elasticidade não favorece a amortização dos trancos nos lançamentos; ao praticar a ferrada, procure amaciar o arranque, a fim de não romper a boca do peixe.

 
Características das linhas
Diâmetro
Também chamado de bitola, espessura ou grossura da linha, é quase sempre informado em milímetros pelos fabricantes. Existem alguns raros que fornecem esta medida em polegadas. É preciso tomar cuidado para não confundir. Naturalmente, em linhas de um mesmo tipo, o maior diâmetro proporcionará uma maior resistência, ou seja, agüentará um maior peso. Entretanto, não é na resistência ao peso que se deve pensar na hora de optar por uma linha de maior diâmetro, e sim na sua resistência ao desgaste, que também tem relação direta à medida. Quanto mais grossa for a linha, maior será sua resistência ao desgaste. É necessário prevenir-se quanto a isto no caso de pescas realizadas em locais onde a linha poderá sofrer atrito com galhos, pedras e outros obstáculos. É preciso saber o que é mais importante para você: muita linha ou muita resistência?

Resistência
É a capacidade máxima de suporte de peso de uma linha e normalmente vem expressa em libras nos carretéis. Cada libra correspondem a 453 gramas. Escolhe-se a resistência em função do peso do peixe desejado, mas é preciso lembrar que o seu peso se multiplica na água durante uma briga.

Memória
As linhas tendem a assumir forma espiralada, em razão de seu acomodamento no carretel, isto é, a capacidade de memória da linha. Dependendo da composição dos materiais utilizados na sua fabricação, esta propriedade varia. Quanto menor memória, melhor, pois a deformação pode causar desgaste na linha.

Linhas coloridas ou transparentes
As linhas coloridas são preferidas pelos praticantes de pesca com isca artificial, por proporcionarem grande visibilidade. Neste tipo de pesca, é importante ver por onde passam as linhas ou onde caíram as iscas, pois a precisão dos arremessos é fundamental no sucesso da pescaria. Já quando se trata de pesca com iscas naturais, a maioria dos pescadores prefere utilizar linhas transparentes, por acreditar que os peixes podem perceber a linha e não atacar a isca.

Tipos de filamento
Existem dois tipos básicos de linhas quanto ao filamento: linhas mono e multifilamento. As linhas monofilamento são confeccionadas com apenas um filamento, como o próprio nome sugere. São as mais tradicionais e abundantes no mercado. As de multifilamento, relativa novidade, podem ser linhas trançadas ou fundidas. Como um cabo, são constituídas por múltiplos filamentos cuja união proporciona uma linha de grande resistência de peso máximo e de desgaste. As linhas fundidas são assim chamadas por serem feitas de vários filamentos colados e não trançados cobertos por uma camada de gel, que faz com que tenham uma aparência lisa. Uma linha multifilamento tem resistência maior que outra monofilamento de mesmo diâmetro e provoca uma abrasão maior, por isso deve ser utilizada com varas cujos passadores resistam a este desgaste. Este tipo de linha oferece a possibilidade de ter no carretel muita linha de grande resistência e de baixa memória.

 Fotos dos Leitores


Vejas as fotos dos nossos pescadores
 Arquivo - Pesca
De encontro aos peixes gigantes...
Pesca e stress
Sinta a esportividade do Tucunaré em Panorama
Numa pescaria, o que vale é a AMIZADE...
Marlin-azul tem a primeira marcação eletrônica do Brasil
Conheça os peixes Apapá e o Pampo
Tucunaré, problema ou solução?
Dicas de Pescador
História de pescador
Mulheres na pesca - Sorte ou azar?
As estrelas do inverno
Mulheres nos pesque-pagues
Tambacus, brigadores indiscutíveis
Pescarias nos pesque-pague
Em busca dos tucunarés gigantes
Alto-mar: uma pescaria fascinante
Confira alguns nós mais utilizados nas pescarias
Embarcar numa excursão de pesca vale a pena?
Peixes de água doce
Cuidado com os peixes venenosos
Serviços diferenciais unem hotéis, pousadas e boas pescarias
Lições de pesca: um hobby que pode ser muito interessante
 Dicas
Dicas para pescaria
Dicas de pescador
Tralhas para pescar cabeçudas
Pescarias de inverno
Como fisgar Tucunarés com iscas artificiais
Dicas de Pescador
Equipamentos
Rabicho ou chicote
Molinetes
Em Serra da Mesa, grandes tucunarés
Bóias: Conheça alguns modelos principais e suas características
Linhas de pesca
Iscas naturais para uma boa pescaria
Iscas de fundo e metálicas
Iscas artificiais: pesca mais dinâmica
Como escolher a melhor vara de pesca?
Anzol: você sabe exatamente
como usá-lo?
A pesca de arremesso em praia
Saiba como manusear carretilhas
Seis dicas básicas para manter seu equipamento em ordem
Carretilhas x Molinetes
 
Mande a foto de sua pescaria. Logo teremos uma nova seção com as fotos de todos nossos pescadores.
E-mail: pesca@nippo.com.br

© Copyright 1992 - 2016 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante.
Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

Sobre o Portal NippoBrasil | Fale com o Nippo